Espanha

Mais de 600 dias depois de ser operada a tumor no cérebro, jogadora volta a ser convocada

Mais de 600 dias depois de ser operada a tumor no cérebro, jogadora volta a ser convocada

O jogo desta quinta-feira, a contar para a meia-final da Supertaça Espanhola de futebol feminino, entre o Levante e o Atlético de Madrid, vai ter um sabor especial. Virginia Torrecilla, do clube colchonero, está de regresso à lista de convocados depois de ter superado um tumor no cérebro.

Virginia Torrecilla era uma jovem de 25 anos que adorava futebol e jogava no Atlético de Madrid com nomes como Alexia Putellas e Jennifer Hermoso. Até que, a "rapariga mais positiva do mundo", como a própria se define, sofre um duro golpe, em março de 2020. Depois de fazer um TAC, após sentir dores de cabeça e no pescoço, Virginia descobriu que tinha um tumor no cérebro. Um diagnóstico duro, que a sufocou e colocou o seu habitual dia-a-dia em pausa.

Ainda assim, a atleta não desistiu. E, para ajudar quem, tal como ela, tinha as mesmas lutas, decidiu publicar um vídeo nas redes sociais, com a cabeça ligada, já depois da operação. "Queria apenas dizer-vos que estou a tornar isto público porque é importante para todas as pessoas que têm doenças e que lutam diariamente para ultrapassar qualquer obstáculo que tenham no caminho. Eu, sinceramente, nunca na minha vida imaginei que algo assim me pudesse acontecer. Nem eu, nem ninguém da minha família. Mas tocou-me. E acabei de ganhar o jogo da minha vida", disse.

Seguiu-se uma longa recuperação. Virginia foi obrigada a trocar os relvados pelos hospitais, onde fez radioterapia e a quimioterapia para "voltar a desfrutar da vida" e "viver a dobrar no futuro". Mesmo em tratamento, a jogadora praticava desporto, mas acabou por parar devido à quimioterapia, que a deixava "muito cansada", como disse em entrevista ao "EL País", em abril de 2021. Virginia desceu aos 48 quilos - pesava 63 - comia mal e sentia-se muito cansada, mas nunca deixou de mostrar otimismo, principalmente nas redes sociais, nas quais nunca perdeu contacto com os adeptos. Terminou a quimioterapia em março de 2021, sete meses depois, mas acabou por voltar ao hospital por ter as defesas bastante em baixo.

Impedida de fazer o que mais gostava, a espanhola aproveitava o tempo de outra forma: leu mais e viu muitos mais jogos de futebol, que lhe permitiram detetar alguns erros da equipa. Pouco tempo depois, começou a treinar e, em novembro de 2021, até fez parte da foto oficial da equipa. Em dezembro, anunciou que estava livre do pesadelo. O regresso estava perto e chegou, finalmente. Esta quinta-feira, Virginia voltou a ser convocada, para o jogo da meia-final da Supertaça de Espanha, uma competição que lhe traz boas memórias e na qual foi homenageada. E estarão todos à espera, de braços abertos, para a voltar a receber.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG