Desporto

Manchester City supera United e depende de si para ser campeão

Manchester City supera United e depende de si para ser campeão

O Manchester City bateu, esta segunda-feira à noite. o Manchester United, com um golo solitário do belga Kompany, e depende apenas de si para ser campeão inglês de futebol, quando faltam somente duas jornadas para o fim da prova.

No "jogo do título", os "citizens" não repetiram a humilhante goleada de 6-1 da primeira volta, mas fizeram os mínimos para igualar na tabela os rivais - ambos têm 83 pontos em 26 jornadas -, sendo que a equipa hoje vencedora tem uma melhor diferença de golos.

As contas entre golos marcados e sofridos desde o início desta Premier League colocam o City com uma vantagem de oito golos, o que significa que o surpreendente resultado de outubro passado pode mesmo valer a perda do título para o United, que chegou a parecer estar com o campeonato ganho.

Um quadro que ainda há um mês parecia perfeitamente impensável, já que o United chegou a deter um avanço de oito pontos na prova.

Faltam dois fins de semana para tudo se decidir, sendo que o City tem calendário mais complicado: joga fora com o Newcastle, atual quinto e a lutar pelo acesso à "Champions", antes de poder depois fazer a festa em casa, com o Queens Park Rangers, 44 anos depois do último sucesso.

O United joga com duas equipas do meio da tabela e que já têm a certeza que não descem de divisão nem chegam à Liga Europa: primeiro será o Swansea (12.º), em casa, e depois o Sunderland (11.º), fora.

No estádio City of Manchester a equipa treinada por Roberto Mancini jogou "à campeão" e impôs-se no plano tático e físico, não havendo qualquer contestação possível ao resultado.

O único golo apareceu aos 45+1 minutos, de um canto cobrado por Silva, com Vincent Kompany a saltar mais que Smalling e a cabecear para o fundo das redes de De Gea.

A luta pelo resultado foi intensa dentro de campo e extravasou mesmo para fora das quatro linhas, com Mancini e Ferguson perto de perder a fleuma após uma falta feia de De Jong sobre Welbeck.

Nani foi o único português em ação, jogando nas pontas do ataque dos "red devils", no apoio a Wayne Rooney. Seria substituído aos 83 minutos, por Ashley Young.