Futebol

Manuel Fernandes explica convite a José Mourinho para o Estrela da Amadora

Manuel Fernandes explica convite a José Mourinho para o Estrela da Amadora

O treinador Manuel Fernandes assumiu o Estrela da Amadora para a temporada 1990/91 com José Mourinho à "boleia", como adjunto, no primeiro cargo de "Mou" com equipas sénior, recorda à Lusa.

Vindo de "duas grandes épocas no Vitória de Setúbal", Manuel Fernandes recebeu um convite para treinar o Estrela da Amadora na melhor fase da sua história, com a Taça de Portugal, vencida com João Alves, na vitrine de troféus e uma inédita participação na Europa, via Taça das Taças, em vista.

"Pensei logo no José Mourinho, porque o acompanhava na formação [do Vitória de Setúbal]. Todas as semanas havia um jogo de reservas, com metade juniores e metade seniores. Falava muito com ele, via os treinos dele, para ver se o Setúbal tinha jogadores jovens para colocar na equipa principal", recorda o antigo jogador e treinador.

Até aí, José Mourinho, que se estreou há 20 anos como treinador principal no Benfica, trabalhava com as camadas jovens do Vitória de Setúbal e Manuel Fernandes foi encontrá-lo "como professor numa escola em Alhos Vedros".

"Disse-lhe que ia treinar o Estrela e gostava que ele fosse como meu adjunto. Disse logo que sim, nem hesitou", conta a antiga 'glória' do Sporting.

Esse convite foi ancorado sobretudo numa aposta na "muita capacidade para desempenhar o cargo" que via em José Mourinho, porque tinham começado "a confiar um no outro" nos tempos em Setúbal.

No Estrela, competiram pela Europa na Taça das Taças, eliminando o Neuchâtel Xamax antes de caírem com o Liégeois, na segunda ronda, mas a época não correu bem: Manuel Fernandes cedeu o lugar a Jesualdo Ferreira, mas a descida acabou por ser consumada.

PUB

Mais tarde, Manuel Fernandes não deixaria cair o técnico luso, aquando de um convite para o 'seu' Sporting. "Mais tarde, levei-o para o Sporting, foi aí que ele conheceu o Bobby Robson. Nunca mais parou. O resto é história", atira.

O "resto" começou a construir-se nesse ano de 1992/93, ao lado do técnico inglês, falecido em 2009, que o levaria para o F. C. Porto, primeiro, e para o FC Barcelona, depois, até 1999/2000.

Depois, é contratado para treinador do Benfica, mas perde na estreia, há 20 anos, como técnico dos 'encarnados': frente ao Boavista, no Bessa, claudica perante um golo do brasileiro Duda, logo aos dois minutos.

O desaire inicial não o fez esmorecer: de uma curta passagem nas 'águias' ao atual cargo no Tottenham, em Inglaterra, vai uma 'enxurrada' de títulos: duas Ligas dos Campeões, com F. C. Porto (2004) e Inter Milão (2010), duas Ligas Europa, uma com os "dragões", em 2003, e outra com o Manchester United, em 2017, além de títulos de campeão nacional em Portugal (F. C. Porto), Espanha (Real Madrid), Inglaterra (Chelsea) e Itália (Inter Milão), entre outros troféus.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG