Futebol

Mário Figueiredo insiste no alargamento da Liga a 18 clubes

Mário Figueiredo insiste no alargamento da Liga a 18 clubes

O novo presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Mário Figueiredo, anunciou esta quinta-feira o objectivo de alargar o campeonato principal a 18 clubes, desafiando ainda o Governo a rever a lei que impede os patrocínios das empresas de apostas desportivas.

Em plena tomada de posse, pouco mais de uma hora depois de ter sido anunciado como sucessor de Fernando Gomes no cargo - e sexto presidente do organismo -, o advogado apelou ainda à "união de todos" na implementação de "um modelo novo" no futebol português.

O alargamento da Liga principal a 18 clubes foi imediatamente assumido por Mário Figueiredo, que prometeu "procurar dar andamento" ao processo, dando a entender que é para implementar já na próxima temporada.

Mas foi no capítulo da proibição da publicidade das empresas de apostas desportivas "online", em território nacional, que centrou grande parte do seu discurso de indigitação.

"Os sucessivos governos, desde 2005, têm que explicar ao mundo do futebol por que razão o Real Madrid, o Lyon, a Federação Internacional de Basquetebol e outros podem recorrer a patrocínios de apostas desportivas e nós não o podemos fazer", desafiou Mário Figueiredo.

O novo presidente da Liga lançou, desse modo, o repto ao actual Governo: "O ministro da tutela [Miguel Relvas, Adjunto e dos Assuntos Parlamentares] é um reformista e tem aqui uma enorme oportunidade para demonstrar que também o é no desporto".

A propósito da legislação que dita a exclusividade das apostas desportivas a uma única entidade, Mário Figueiredo sustentou que "essa é uma regulação que interessa a todo o desporto, e não apenas ao futebol".

O discurso do novo presidente foi também inequívoco quanto ao tipo de representatividade que quer exercer: "Queremos recentrar o papel da Liga como entidade ao serviço de todos os clubes, de forma mais sustentável, mais autónoma e mais profissionalizada".

"Lançamos um abraço fraterno a todos os clubes, sem excepção, pois contamos com todos eles", concluiu Mário Figueiredo, que aproveitou para enaltecer o papel da direcção anterior e dos seus quadros.

Foram também empossados esta quinta-feira André Dinis de Carvalho, novo presidente da Assembleia Geral, e Júlio Manuel Vieira Gomes, que dirigirá a Comissão Disciplinar do organismo.

Os corpos sociais eleitos esta quinta-feira estão mandatados para os exercer até Junho de 2014, o tempo restante do mandato interrompido por Fernando Gomes.