Rio Ave

Mário Silva: "Os adeptos do Rio Ave devem estar muito orgulhosos destes jogadores"

Mário Silva: "Os adeptos do Rio Ave devem estar muito orgulhosos destes jogadores"

Mário Silva, treinador do Rio Ave, mostrou-se "muito feliz" com a vitória na Turquia frente ao Besiktas, esta quinta-feira, na terceira pré-eliminatória da Liga Europa, e elogiou a exibição da equipa. Também o presidente dos vila-condenses disse estar "muito orgulhoso" dos jogadores.

"Estou muito feliz, acima de tudo pelos jogadores. Foram 120 minutos de muita luta, muito sacrifício, em que os índices físicos foram ao limite e conseguimos o objetivo que era passar ao play-off. Sabíamos que era difícil, na Turquia, contra um adversário forte e poderoso, mas tínhamos a nossa esperança de que tudo podíamos fazer para conseguir passar. Sabíamos que era um jogo mata-mata e que tudo era possível e, felizmente, saímos vencedores", começou por enaltecer o técnico principal dos vila-condenses.

E deixou rasgados elogios aos atletas: "Quero realçar o grande trabalho dos jogadores, os grandes obreiros desta vitória. Ainda não ganhámos nada, mas foi mais um momento histórico para eles e que bem mereceram. Deu-me prazer vê-los a jogar e com a qualidade que jogaram, vê-los sacrificarem-se da forma como o fizeram e os adeptos do Rio Ave devem estar muito orgulhosos destes jogadores".

Analisando a partida, Mário Silva referiu que a equipa fez "uma primeira parte positiva". "Mas queríamos ser mais consistentes em termos defensivos e no ataque criar mais oportunidades. O segundo tempo já foi diferente, construímos oportunidades, fizemos um golo e podíamos ter feito mais, num jogo muito competitivo, frente a um adversário forte, que nos criou problemas", acrescentou.

O treinador lamentou o facto de a equipa ter jogado os 120 minutos e, dentro de três dias, ter outro jogo, ante o Vitória de Guimarães, para a Liga, o que a seu ver complica a recuperação.

O adversário da próxima ronda já é conhecido - os italianos do AC Milan -, contudo, Mário Silva prefere concentrar-se no que vem já no domingo (21 horas). "Antes temos o Vitória de Guimarães, e o nosso foco tem de estar nesse jogo. Temos de celebrar e festejar hoje, porque é motivo de orgulho, mas amanhã temos já de preparar a partida do campeonato. O AC Milan virá depois, e será mais um prémio para os jogadores poderem desfrutar e tentarem chegar mais à frente".

E continuou: "Numa eliminatória a uma mão tudo é possível. Por vezes os nomes dos adversários podem assustar, mas connosco isso não acontece. Jogámos na casa do Besiktas, num adversário muito complicado, e viemos confiantes em passar esta ronda. Com o AC Milan vai ser igual. Sabemos que vamos defrontar uma equipa poderosa, um grande europeu, mas tudo vamos fazer para continuar a ter sucesso".

Também o presidente do Rio Ave, António Silva Campos, falou sobre o feito da equipa. "Sentimos muito orgulho. Sabíamos que ia ser um jogo difícil, contra um grande clube europeu, mas sempre acreditámos nas nossas capacidades. Temos uma equipa muito equilibrada. Antes do jogo, tive uma conversa no balneário. A equipa estava ansiosa, mas disse-lhes que estávamos neste jogo não por sorte, mas por mérito. Conquistámos esse direito com uma grande prestação na época passada e provámos que a sorte dá muito trabalho".

O dirigente máximo dos vila-condenses sabe que os resultados positivos trazem uma responsabilidade acrescida, mas afirma que o clube "tem os pés assentes na terra e sabe até onde pode ir". Quanto ao adversário do play-off, reconhece-lhe valor, no entanto, não se mostra amedrontado: "Quando saiu no sorteio o Besiktas disse, em tom de brincadeira, que o Besiktas tinha tido azar em nos defrontar. O AC Milan está num patamar muito superior, mas com a nossa humildade, querer e força, de certeza que vamos lutar pela eliminatória", frisou.

"São estes resultados que dão muito realce ao Rio Ave e aos seus jogadores. Os clubes grandes estão sempre a observar os nossos atletas, e também precisámos de rentabilizar os ativos para compor o equilíbrio dos orçamentos. O futebol é mesmo assim", completou.

Outras Notícias