FCP

"Meia hora à James Rodriguez" abriu portas da goleada à União de Leiria

"Meia hora à James Rodriguez" abriu portas da goleada à União de Leiria

O F. C. Porto precisou, domingo, de uma "meia hora à James Rodriguez" para encontrar a chave do "cadeado defensivo" da União de Leiria, goleada por 4-0, na 18.ª jornada da Liga portuguesa de futebol.

O desfecho não espelha as dificuldades que os "dragões" encontraram, no seu terreno, face à estratégia montada por Manuel Cajuda, que surtiu efeito até aos 66 minutos do encontro.

A expulsão de Shaffer, no início do segundo tempo, e a vivacidade do jovem colombiano foram, no entanto, fatais para a equipa que tudo apostou na defesa.

Vítor Pereira montou a equipa "reajustada" pelo mercado de inverno, com os reforços Danilo, Lucho e Janko a titulares, contando ainda com o regresso, após lesão, de Hulk.

Num "onze" sem os centrais Otamendi e Rolando (substituídos por Mangala e Maicon), Varela "ganhou" a vez a James Rodriguez, mas a sua actuação no primeiro período deixou muito a desejar.

Aliás, toda a equipa portista manifestou alguma ansiedade e, nas poucas jogadas de alguma clarividência ofensiva, a falta de pontaria (pela meia hora de jogo) e o guarda-redes Oblak (aos 40 minutos) impediram o austríaco Janko de inaugurar o marcador.

Do lado da equipa de Cajuda, o seu "muito particular" 3x4x3 revelava-se, afinal, um 5x5, com todos os jogadores atrás da linha da bola, "aferrolhando" o reduto defensivo.

Uma estratégia que passou pelo acompanhamento, muito de perto, dos "maestros" Lucho e Moutinho, que poucas vezes conseguiram encontrar linhas de passe para a velocidade de Hulk ou para o espaço reduzido onde Janko se tentava mover, cravado entre os centrais leirienses.

Aliás, os defesas Danilo e Álvaro Pereira foram sempre mais incisivos nas alas, à procura dos cruzamentos para a "torre" austríaca, do que Hulk (ainda um pouco lento) e Varela.

Assim se chegou ao intervalo e a partida recomeçou, praticamente, com a expulsão de Shaffer, por entrada perigosa sobre João Moutinho.

O FC Porto aproveitou para imprimir maior velocidade e, aos 55 minutos, Varela conseguiu servir Janko, desde a esquerda, mas o avançado rematou por alto.

Até que, aos 66 minutos, Moutinho encontrou, com um "golpe" de rins que desorientou a defesa, uma linha de passe para James Rodriguez (substituiu Varela aos 60), com este a encontrar Janko isolado na pequena área, que assim inaugurou o marcador.

Mais pela energia do jovem colombiano que pela vantagem numérica em campo (o "ferrolho" era o mesmo), a dinâmica ofensiva dos "dragões" mostrava mais criatividade.

E foi o próprio Jamez Rodriguez quem "matou" as já poucas expectativas da União de Leiria, quando rematou de forma certeira, aos 74 minutos, após defesa incompleta de Oblak, que antes sustera um "tiro" de Lucho Gonzalez.

Álvaro Pereira, que à custa do "amarelo" com que hoje foi admoestado não jogará a próxima jornada, marcou o terceiro golo, aos 85 minutos, após jogada de Djalma na direita.

Maicon, de cabeça, deu a melhor sequência a um livre apontado na direita por James Rodriguez e fechou as contas da partida, aos 89 minutos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG