Mergulho

Mergulhadora desaparecida terá morrido no Mediterrâneo

Mergulhadora desaparecida terá morrido no Mediterrâneo

A russa Natalia Molchanova, campeã mundial de mergulho em apneia, terá morrido em consequência de um mergulho no Mediterrâneo, perto da ilha espanhola de Formentera, nas Baleares.

Três dias após o desaparecimento da multirrecordista russa, de 53 anos, as equipas de resgate espanholas ainda não interromperam as buscas e têm intenções de as manter até domingo, de acordo com um porta-voz da Guarda Civil.

"As buscas para encontrar Natalia ainda não estão oficialmente terminadas, mas, infelizmente, a probabilidade de sucesso é baixa", lê-se no comunicado da federação russa de mergulho em apneia.

Molchanova desapareceu depois de mergulhar sem barbatanas a uma profundidade de 30-40 metros junto da costa da ilha de Formentera, perto de Ibiza, informaram a família e a Associação Internacional para o Desenvolvimento da Apneia (AIDA), num comunicado conjunto.

Este seria um mergulho aparentemente simples para a russa, comparado com o recorde que estabeleceu em maio, no Egipto, após descer a uma profundidade de 71 metros também sem barbatanas. Dos oito recordes mundiais femininos homologados pela AIDA, Molchanova detinha sete.