Crise

Mesa da Assembleia do Sporting demite-se em bloco

Mesa da Assembleia do Sporting demite-se em bloco

A Mesa da Assembleia-Geral do Sporting demitiu-se em bloco, confirmou o presidente, Jaime Marta Soares.

Também o presidente e vários membros do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) do Sporting apresentaram a demissão e apelaram ao presidente do clube, Bruno de Carvalho, e à restante direção que renunciem também aos cargos.

PUB

"Tendo em conta os superiores interesses do Sporting Clube de Portugal, que são e sempre foram a nossa maior preocupação, apelamos a que o presidente e os restantes membros do Conselho Diretivo (CD) apresentem a sua renúncia ao cargo de forma a permitir a marcação imediata de eleições", indicam os cinco subscritores do comunicado.

Ao que o JN apurou, o Conselho Diretivo mantém-se em funções, mas o vice-presidente António Rebelo está a ponderar a saída, bem como três vogais, no caso Luís Roque, Luís Gestas e Luís Loureiro. Para já, o CD mantém quórum, uma vez que o vice-presidente Carlos Vieira continua a apoiar Bruno de Carvalho, bem como os vogais Rui Caeiro, Bruno Mascarenhas, José Quintela e Alexandre Godinho. O CD do Sporting está, esta quinta-feira à tarde, reunido de emergência.

As demissões surgem depois de Bruno de Carvalho reiterar que não se ia demitir e anunciar que vai mover um processo contra o presidente da Assembleia da República, comentadores e jornalistas por o terem "difamado e caluniado", após os atos de violência em Alcochete.

Além do presidente do CFD, Nuno Silvério Marques, e do vice-presidente, Vicente Caldeira Pires, também os membros Vítor Bizarro do Vale, Miguel Almeida Fernandes e Nuno Miguel Santos apresentaram ao presidente da Mesa da Assembleia Geral, Jaime Marta Soares, os pedidos de demissão.

Os subscritores indicam que têm "acompanhado com preocupação os factos ocorridos e que em nada dignificam a história, a imagem e os interesses do Sporting" e que o conselho fiscal não pretende "contribuir para o problema".

Depois de terem chegado à conclusão que o CFD "não tem competências estatutárias" para retirar o clube da "situação insustentável em que o mesmo se encontra", Nuno Silvério Marques e os restantes quatro membros decidiram apresentar a demissão.

"Estatutariamente, a resolução passará sempre por uma de três situações: renúncia ao cargo por parte do presidente do Conselho Diretivo, renúncia ao cargo por parte da maioria dos membros do Conselho Diretivo ou convocação de uma Assembleia Geral para a revogação do mandato", lembram.

Na terça-feira, cerca de 50 pessoas, de cara tapada, alegadamente adeptos 'leoninos', invadiram a Academia de Alcochete e, depois de terem percorrido os relvados, chegaram ao balneário da equipa principal, agredindo vários jogadores, entre os quais Bas Dost, Acuña, Rui Patrício, William Carvalho, Battaglia e Misic, o treinador Jorge Jesus e outros membros da equipa técnica.

Na sequência da invasão à Academia leonina, a GNR deteve 23 suspeitos, apreendeu cinco viaturas ligeiras, vários artigos relacionados com os crimes e recolheu depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, equipa técnica, funcionários e vigilantes ao serviço do clube.

O Ministério Público disse na quarta-feira que os detidos pelas agressões a futebolistas do Sporting são suspeitos de práticas que podem configurar crimes de sequestro, ameaça agravada, ofensa à integridade física qualificada e terrorismo, entre outros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG