CONMEBOL

Messi oferece camisolas autografadas a farmacêutica que dou 50 mil vacinas

Messi oferece camisolas autografadas a farmacêutica que dou 50 mil vacinas

O internacional argentino Lionel Messi ofereceu três camisolas suas do Barcelona autografadas aos responsáveis chineses da Sinovac, a farmacêutica chinesa que enviou 50 mil vacinas para serem usadas nas competições sul-americanas, incluindo a Copa América.

"Os diretores da Sinovac manifestaram a sua admiração por Lionel Messi, que se predispôs a enviar-lhes três camisolas" como forma de agradecimento, revelou, no Twitter, o diretor de desenvolvimento da Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL), Gonzalo Belloso.

As 50 mil doses vão garantir, entre outras coisas, uma maior segurança na Copa América, adiada por um ano devido à covid-19 e que vai decorrer na Argentina e Colômbia entre 13 de junho e 10 de julho, na primeira vez desde 1983 que o evento é sedeado por mais do que um país.

A chegada destas vacinas "é a melhor notícia que pode receber a família do futebol sul-americano", comentou nas redes sociais o presidente da CONMEBOL, Alejandro Domínguez.

"É um avanço enorme para vencer a pandemia da covid-19, mas isso não significa de modo algum que vamos baixar a vigilância", acrescentou.

Este ano o evento vai juntar somente 10 seleções, pois, face à situação pandémica, não vai ter convidados, já que a Austrália e o Qatar desistiriam de participar.

O gesto de Messi ajuda a pacificar a sua relação com o órgão que tutela o futebol sul-americano, depois de no final da Copa América 2019 o argentino ter falado em "corrupção" para classificar o que alegou serem erros de arbitragem a prejudicar a sua equipa, que perdeu na meia-final 2-0 com o anfitrião Brasil, que ganharia a prova.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG