V. Guimarães

Miguel Pinto Lisboa apresentou ideias-chave da recandidatura

Miguel Pinto Lisboa apresentou ideias-chave da recandidatura

Miguel Pinto Lisboa, que encabeça a lista C nas eleições à presidência do Vitória de Guimarães, apresentou, esta noite, as ideias-chave do programa da recandidatura e os elementos que o acompanham no ato eleitoral agendado para o próximo dia 5 de março.

"A situação financeira, que tanto nos interessa a todos, apresenta hoje indicadores positivos e que nos mostram que a recuperação está em curso, tal como planeámos. Mas sabemos que o trabalho não está completo. Sabemos que dois anos e meio não são suficientes para concretizar e colher os frutos das medidas que foram e estão a ser aplicadas. Como todos os vitorianos, também nós queremos ganhar e é para ganhar que nos candidatamos a um novo mandato. Com experiência, com estratégia e com um rumo. Para ganhar no futebol, o nosso eixo assenta na formação, no scouting e no ADN Vitória", assumiu Miguel Pinto Lisboa, numa cerimónia que decorreu nos Paços dos Duques de Bragança, em Guimarães.

PUB

A entrada de um parceiro na SAD continua a ser um objetivo. "O nosso programa, sendo coerente com aquilo que vimos defendendo, prevê um Vitória maioritário na SAD, mas com um parceiro estratégico que aporte investimento e know-how, alavancando o nosso nível competitivo e valorizando a marca Vitória, sem nunca perder de vista que o Vitória é dos Vitorianos e é de Guimarães", esclareceu o presidente em exercício.

As infraestruturas também não estão esquecidas. "Honrando o passado e a história, queremos um lugar no presente e no futuro. Esse é um salto impossível de concretizar sem infraestruturas. Neste mandato, vamos concluir o mini-estádio, avançando também para a concretização da nova Academia, complementar à atual", prometeu.

Na abertura do discurso, o atual presidente recordou alguns passos dados desde 2019. "Esta equipa entendeu em 2019 que, para ganhar e para crescer, o Vitória teria de levar a cabo mudanças estruturais profundas. Esta equipa entendeu e entende que o objetivo do Vitória não é o sucesso eventual, mas o sucesso consistente, aquele que tem raízes profundas e que capacita o nosso clube para pôr termo a décadas de instabilidade e de inconsequência", salientou.

"Fizemos alterações profundas no futebol de formação, que deixou de ser um viveiro para os clubes rivais para se tornar numa das principais fontes da equipa principal do Vitória, mas também dos vários escalões das seleções nacionais. O Vitória, que durante anos teve um acionista maioritário externo e que durante anos viveu na sombra de um potencial investidor ou comprador, é hoje dono do seu destino, contra todas as previsões e contra o desejo de alguns", sublinhou Miguel Pinto Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG