Moreirense - Rio Ave

Golos esbanjados tiveram castigo

Golos esbanjados tiveram castigo

Vila-condenses perdulários sofrem empate na ponta final. Cónegos persistentes chegam à marca dos 30 pontos

O Rio Ave provou, de forma amarga, a velha máxima do futebol de que "quem não marca, sofre", permitindo ao Moreirense arrancar um empate (1-1) nos últimos instantes do desafio, num resultado que castiga os vila-condenses pelas várias oportunidades desperdiçadas e deixa os minhotos com o conforto de terem atingido a barreira dos 30 pontos.

Os visitantes até se colocaram cedo em vantagem, quando, logo aos sete minutos, Filipe Soares, numa disputa com Santos num canto, desviou a bola para a própria baliza, deixando o Rio Ave mais confortável no jogo. O Moreirense demorou a recompor-se e foi concedendo demasiados espaços aos velozes contra-ataques contrários, quase sofrendo o segundo golo não fosse o pouco acerto de Carlos Mané e Gelson Dala.

Esse desperdício dos vila-condenses roçou o escândalo já na segunda parte, quando Rafael Camacho, aos 64 minutos, com a baliza à mercê, atirou ao lado. Esse esbanjar acabou por galvanizar os cónegos, que, já depois de terem visto um golo anulado a Rafael Martins, foram crescendo na área contrária com uma frente de ataque reforçada. A persistência e capacidade de sofrimentos dos minhotos foi premiada na ponta final, quando Felipe Pires, vindo do banco, aproveitou uma brecha na defensiva para resgatar o empate final.

Veja o resumo do jogo:

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG