Fórmula 1

Morreu Braguinha, um dos mecenas de Ayrton Senna e Fittipaldi

Morreu Braguinha, um dos mecenas de Ayrton Senna e Fittipaldi

Empresário brasileiro tinha 94 anos e vive em Sintra. Ajudou vários desportistas brasileiros como Pelé e Gustavo Kuerten. Vai ser sepultado no Minho.

O empresário brasileiro António Carlos de Almeida Braga, conhecido como Braguinha, morreu aos 94 anos de idade, em Portugal, tendo ficado na história por ter financiado os pilotos Ayrton Senna e Emerson Fittipaldi, o tenista Gustavo Kuerten e o antigo futebolista Pelé. Os patrocínios deste empresário foram determinantes para a afirmação brasileira da vela e do voleibol como desportos olímpicos.

"O desporto brasileiro está de luto. O meu querido amigo Braguinha foi descansar em paz com nosso Pai Celestial. Meus sentimentos a Lu e toda família Almeida Braga. O Braguinha é um património do desporto brasileiro, e agora será um património eterno na história do Brasil. Muito obrigado por tudo que fez pelo desporto e atletas brasileiros. Quando chegava na quadra, no estádio, no autódromo, ele sempre era uma luz, alegria e motivação. Muito obrigado por tudo que você fez por nós todos. Descanse em paz, te amamos muito", escreveu o antigo piloto Emerson Fittipladi nas redes sociais, patrocinado por António Carlos Braga desde que entrou na Fórmula 1 em 1970. Foi graças à sua ajuda que venceu dois títulos mundiais.

Fanático pelo Fluminense, o empresário brasileiro esteve presente em todos os mundiais de futebol desde 1950, era amigo pessoal de Ayrton Senna - estava em Ímola quando o piloto brasileiro faleceu tragicamente em 1994 - e tinha uma enorme paixão pelo ténis. "A primeira vez que cheguei a Roland Garros, era muito jovem e não tinha nem bilhete. Foi o Braguinha quem me fez acreditar que o sonho era possível, que eu me poderia tornar campeão... ", recordou Gustavo Kuerten que venceu a competição em 1999 e 2000.

António Carlos de Almeida Braga tinha raízes paternas portuguesas e vivia em Sintra, onde cultivava uma relação de grande proximidade com João Lagos, ex-tenista e empresário português. "Conheci-o no Brasil através de um cunhado que morava lá. O nosso interesse pelo deporto era enorme, assistimos juntos a vários Jogos Olímpicos e tínhamos um camarote em Roland Garros onde víamos os jogos de ténis. Ele ajudou muitos desportistas brasileiros e era como um irmão para mim", explica João Lagos.

O corpo de Braguinha, que no mundo empresarial se notabilizou como o dono da Atlântica Seguros, vai ser sepultado na freguesia de Gondarém, em Vila Nova de Cerveira.

Outras Notícias