Polémica

Mourinho considera levantamento do castigo ao City "um desastre". Guardiola exige pedido de desculpa

Mourinho considera levantamento do castigo ao City "um desastre". Guardiola exige pedido de desculpa

José Mourinho reagiu à decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) de anular a exclusão do Manchester City das competições europeias pelo incumprimento do fair-play financeiro. E Pep Guardiola não gostou.

"Em qualquer caso, é uma decisão lamentável. Porque se o Manchester City não é culpado de todo, acho que ser castigado com alguns milhões é uma desgraça. Se não és culpado, não és punido. Mas, por outro lado, se és culpado deves ser castigado. Então também é uma decisão lamentável. A decisão é um desastre", disse o português em conferência de imprensa.

Também Klopp, técnico do campeão inglês Liverpool, condenou a decisão da UEFA. "Do ponto de vista pessoal, estou contente que eles possam jogar a Champions, porque com menos 12 jogos as outras equipas da Premier League não teriam hipótese contra eles. Por outro lado não lhes desejo mal, mas não creio que tenha sido um bom dia para o futebol. O fair-play financeiro é uma boa ideia e serve para proteger equipas e competições para que ninguém gaste a mais e para que o dinheiro que os clubes querem gastar provenha dos sítios corretos", afirmou.

Ora, em reação a estas declarações, o treinador da equipa de Bernardo Silva e João Cancelo garantiu que o clube sempre agiu "dentro da legalidade" e exigiu um pedido de desculpas.

"Investimos muito dinheiro, como muitos outros clubes. Não fomos banidos porque seguimos as regras do fair-play financeiro. Se não o fizéssemos teríamos sido banidos. O que fizemos está certo. O José e todos os treinadores deviam saber que fomos prejudicados. Deviam pedir-nos desculpas. Estou muito feliz pela decisão, que mostra que tudo o que as pessoas disseram sobre o clube não correspondia à verdade. Temos o direito de nos defendermos quando acreditamos que o que fazemos é legal", sublinhou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG