Basquetebol

Muçulmana de 13 anos impedida de jogar por recusar mostrar braços

Muçulmana de 13 anos impedida de jogar por recusar mostrar braços

Fatima Habib, jogadora de 13 anos da equipa de sub-16 do Clube de Basquetebol de Tavira, foi impedida de defrontar, no domingo, o Imortal Basquetebol Clube de Albufeira, depois de recusar despir a camisola preta que tinha vestida debaixo do equipamento oficial.

A equipa de arbitragem não contestou o lenço e os collants que a cidadã paquistanesa sempre usou em treinos ou jogos, mas como não aceitou o argumento de que a religião muçulmana lhe vedava também a possibilidade de mostrar os braços, obrigou a rapariga a abandonar o campo. Fatima acabaria por acompanhar o jogo no banco depois de ter fugido para o balneário, de onde foi resgatada minutos depois pela capitã da equipa. "Fiquei espantada, chorei, e rezei", disse, emocionada, a atleta visada, recordando também que já no quinto ano de escolaridade lhe aconteceu o mesmo na aula de educação física. "Valeu a diretora de turma que me autorizou a vestir como queria", explicou.

Soube ainda o JN que, no domingo, a atleta sugeriu arregaçar as mangas da camisola até aos cotovelos, mas nem assim foi autorizada a jogar. "Está no clube há três épocas, é a melhor jogadora da equipa e nunca até hoje tinha sido afrontada como foi", disse, ao JN, o treinador André Pacheco que também exerce funções de subdiretor do Agrupamento de Escolas D. Manuel I de Tavira.

Leia mais na edição impressa ou na versão e-paper