Caso Marega

"Não é admissível pretender que o Vitória vista a pele de lobo"

"Não é admissível pretender que o Vitória vista a pele de lobo"

O Vitória de Guimarães emitiu um comunicado, na noite desta segunda-feira, a propósito dos insultos racistas dirigidos a Moussa Marega, do F. C. Porto, no jogo de domingo, no Estádio D. Afonso Henriques.

No documento assinado pela administração, o Vitória Sport Clube "reitera a sua total disponibilidade para colaborar ativamente na identificação dos verdadeiros responsáveis pela ocorrência de qualquer manifestação de racismo ou discriminação no Estádio D. Afonso Henriques, para o que apela ainda à cooperação dos seus adeptos e associados".

Ainda assim, em defesa do clube, acrescenta: "Com efeito, não é admissível pretender que o Vitória SC vista a pele de lobo defronte um problema social que já conheceu condenações efetivas no plano desportivo nacional e internacional, contando embora com o silêncio e a parcimónia de todos os órgãos e entidades que agora prontamente se pronunciaram. São conhecidos os casos de racismo, de glorificação da morte, de homicídio, de violência e de discriminação no futebol português, todos sem a indignação correspondente".

Considerando que "o racismo é um ato de traição à fundação do clube", o clube promete disponibilizar as imagens de videovigilância para ajudar a apurar o que realmente se passou.

E o comunicado termina assim: "Finalmente, cumpre registar a gravosa desconsideração institucional perpetrada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional contra o Vitória SC, ignorando de forma inadmissível a sua posição de censura e condenação sobre os acontecimentos em causa aquando da divulgação, através das redes sociais, de todas as outras levadas a cabo pelos restantes clubes. O racismo é condenável e o Vitória SC também o condena".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG