Futebol

"Não somos todos como o Ronaldo. Sem salário, o senhorio bate à nossa porta"

"Não somos todos como o Ronaldo. Sem salário, o senhorio bate à nossa porta"

Os eventuais cortes nos salários dos jogadores de futebol têm estado na ordem do dia, numa altura em que todas as competições estão paradas devido à pandemia de Covid-19. E nem todos os jogadores estão de acordo.

Alberto Paleari, guarda-redes do Cittadella, da Serie B italiana, não concorda com o corte dos salários. O guarda redes defende que não se importa que a quantia seja paga mais tarde mas que a redução está fora de questão. E recorre ao exemplo de... Cristiano Ronaldo, jogador da Juventus.

"Se fosse uma questão de atrasar o pagamento por um mês e receber a dobrar mais tarde, eu nem hesitava, dizia que sim. Mas se for para distribuir o valor ao longo do tempo, terei que dizer que não. Não somos todos como Ronaldo. Se lhe tirarem dois meses de salário, ele não vai ter dificuldades financeiras, certamente. Se nos tirarem o mesmo, o nosso senhorio bate à porta a pedir a renda. Não podemos julgar todos da mesma forma, são situações diferentes", disse o guarda-redes de 27 anos em declarações ao "Strictly Cittadella"

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG