O Jogo ao Vivo

Futebol

"Neymar cospe na camisola e nos adeptos do PSG"

"Neymar cospe na camisola e nos adeptos do PSG"

Numa altura em que a continuidade de Neymar no PSG é uma incógnita, o avançado foi alvo de duras críticas por parte de Jérôme Rothen, ex-jogador da equipa francesa. Já o treinador Thomas Tuchel diz que o brasileiro é "sensível" e que o vai sempre proteger.

Jérôme Rothen jogou oito anos ao serviço do PSG e, este sábado, não poupou nas críticas a Neymar. O ex-médio de 41 anos condenou as recentes atitudes do avançado e admite que, apesar de o brasileiro ser um grande jogador, a saída é inevitável.

"Como é que ele pode ficar se não quer estar no PSG? O clube tem de obrigá-lo a sair! Há muitas pessoas à minha volta que gostavam dele. Ele cospe na camisola e nos adeptos, as mesmas pessoas que gastam uma boa parte do salário para pagarem o de Neymar. É fantástico o que ele consegue fazer com a bola, é decisivo nas vitórias das equipas que representa, mas esqueceu-se do essencial: está num clube que lhe dá condições incríveis. Quando ele diz que a melhor memória da carreira foi a reviravolta do Barcelona na Champions, que foi o momento mais baixo da história do PSG, torna-se nojento", atirou.

"Neymar é sensível e vou sempre protegê-lo"

Na conferência de imprensa antes do jogo com o Rennes, Thomas Tuchel, treinador dos parisienses, abordou uma eventual saída do brasileiro e confirmou a ausência de Neymar no segundo jogo da Liga francesa, devido a lesão.

"Se não houver uma solução, fica no PSG. É meu jogador e quando penso numa equipa forte, ele está incluído. É sensível e vou sempre protegê-lo. Quero vê-lo jogar ao melhor nível durante 90 minutos, com agressividade e muito drible. Jogo com o Rennes? Neymar esteve com o grupo, mas, no final da sessão, trabalhou individualmente. Mas não está recuperado da lesão, por isso não entra na convocatória",disse Tuchel.