Futebol

Ninguém quer ficar de fora da nova Liga 3

Ninguém quer ficar de fora da nova Liga 3

Treinadores da Série 3 da fase de apuramento juntaram-se e trocaram ideias sobre a prova.

Seja pela novidade em si, pela maior competitividade que lhe está associada ou pelo mediatismo que promete gerar em torno dela, ninguém quer ficar de fora da edição de estreia da Liga 3, na próxima época.

"Quem anda no futebol quer sempre mais. Se vai haver uma divisão acima do Campeonato de Portugal, todos querem participar nela", atira Sérgio Machado, técnico da Sanjoanense, num programa que juntou, na página oficial da prova, no Facebook, os quatro treinadores da Série 3 da fase de apuramento.

Nem parecia que tinham sido adversários no último sábado. Num ambiente descontraído, os técnicos mostraram que o futebol pode ser um tema de salutar discussão, sem que seja obrigatório haver polémica pelo meio. Se Gondomar e Leça saíram frustrados da fase inicial do Campeonato de Portugal, por terem visto fugir o apuramento para o play-off de subida na última jornada, a verdade é que não houve muito tempo para chorar e foi preciso mudar o "chip" para a fase de acesso à Liga 3, que, avisa Américo Soares, treinador dos gondomarenses, "será muito complicada e competitiva".

"Cada jogo será disputado ao milímetro porque, neste play-off, joga-se uma época", acrescenta Nuno Pedro, técnico do São João de Ver.

Sem preconceitos, os treinadores elogiaram-se mutuamente, falaram do talento que existe na competição e até houve espaço para Domingos Barros falar da paixão de infância pelo Leça, clube que orienta há já cinco anos. "Sendo daqui, às vezes, quando as coisas correm menos bem, as pessoas vêm ter connosco no supermercado ou no café só para dizer que correu mal. Mesmo que tentem ser bem educadas, às vezes há um esgotamento da nossa parte, porque queremos é esquecer, mas acaba por ser engraçado", conta.

PUB

Malapeiros, uma alcunha ainda por decifrar

Nuno Pedro chegou a São João de Ver à 9.ª jornada da série D da fase inicial do Campeonato de Portugal e ainda não teve tempo para explorar a origem da alcunha pela qual é conhecida a equipa, malapeiros. "Chegámos ao clube há relativamente pouco tempo. Desde então, foi dar corda aos sapatos para somar pontos. No final da época vou tentar perceber o porquê desse nome", prometeu, entre sorrisos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG