F.C. Porto

Nuno admite "preparação difícil" para Chaves

Nuno admite "preparação difícil" para Chaves

O treinador do F. C. Porto reconheceu que a "semana atípica", motivada pelo facto de não ter podido contar com vários jogadores devido aos compromissos das seleções, complicou a forma de preparar o jogo da Taça de Portugal.

Na antevisão da partida desta sexta-feira com o Chaves, Nuno Espírito Santo não especificou os problemas com que se deparou com a chegada tardia de jogadores como Maxi Pereira, Layún, Corona, Herrera, Rúben Neves e Diogo Jota, mas assumiu que a "abordagem terá de ser a mesma de sempre".

"Esta é uma competição em que temos o objetivo de chegar ao Jamor. Felizmente, temos um plantel forte e mais do que suficiente para vencer. A preparação foi difícil pelas ausências, mas o onze que escolher vai entrar forte e determinado para ganhar o jogo", afirmou o técnico dos dragões, esta quinta-feira, no Olival.

Sem revelar quais as mudanças que será obrigado a operar, Nuno revelou apenas que José Sá estará na baliza, "por uma questão de rotatividade, mas essencialmente pela confiança, uma vez que se trata de um guarda-redes de grande qualidade".

Duas semanas depois do clássico com o Benfica, que o F. C. Porto empatou, apesar da boa exibição realizada, o treinador preferiu pensar no futuro. "Não olhamos para o passado. Temos de tentar, se possível, melhorar a última exibição. Estamos otimistas e motivados", disse, antes de comentar a recente chegada do ex-capitão João Pinto ao cargo de adjunto do diretor-geral para o futebol, Luís Gonçalves.

"É uma grande alegria tê-lo ao nosso lado. Vai ajudar-nos no dia-a-dia e é mais uma pessoa a contribuir para o crescimento e êxito da equipa", salientou, revelando que o antigo lateral direito também passará a ocupar um lugar no banco durante os jogos.

Outras Notícias