Futebol

O efeito Mourinho já se sente no Tottenham

O efeito Mourinho já se sente no Tottenham

José Mourinho assinou pelo Tottenham no mês passado e já orientou cinco jogos da equipa londrina. O regresso do Special One a Inglaterra foi viral pela expectativa criada pelos adeptos. Saiba que mudanças sentiram os Spurs sob o comando do técnico português.

José Mourinho assumiu a responsabilidade de levantar o Tottenham, afundado na segunda metade da tabela classificativa do campeonato inglês e com resultados bem abaixo da realidade do clube. Mourinho orientou apenas cinco jogos, mas já se conseguem perceber as mudanças implementadas e o que pretende da equipa a longo prazo.

Ora, nos cinco jogos realizados, venceu quatro deles e perdeu um. As vitórias foram contra o West Ham, Olympiacos (Liga Campeões), Bournemouth e Burnley. A derrota foi no terreno do Manchester United, graças a uma excelente exibição dos red devils, através de um plano bem montado pelo técnico Solskjaer. Os Spurs encontram-se já no 7.º lugar da Premier League e apenas a seis pontos do Chelsea, ou seja, do lugar que dá acesso à Liga dos Campeões. Nesta prova, Mourinho orientou apenas um jogo, contra o Olympiacos, e a qualificação já está garantida, tal como o 2.º posto da tabela. O último encontro é em casa do Bayern de Munique que já tem a 1.º posição assegurada.

Mourinho vai usar um esquema tático 4-2-3-1, com um enorme rigor tático, como está habituado a impor às suas equipas. Dier vai ser a referência defensiva, a atuar em duplo pivô com Harry Winks ou Ndombélé. Sissoko poderá perder minutos porque não é o médio ideal para atuar nesta tática, por ser mais ofensivo e pelo facto de ser crucial um médio com as habilidades defensivas necessárias para atuar mais recuado no terreno.

Lucas Moura vai jogar a extremo. O brasileiro tinha uma função diferente com Pochetttino e ocupava mais a zona central do terreno, muitas vezes como avançado. É uma posição pouco comum para o brasileiro que tem a velocidade e o drible como melhores características. O Special One está a rentabilizar o jogador como extremo, com vista a explorar o seu rasgo e desequilíbrio.

Dele Alli em evidência é a plenitude desta equipa do Tottenham. O inglês irá atuar como o tradicional número 10 de José Mourinho. Para o técnico português, um jogador desta posição tem de ser um oito e meio, ou um nove e meio, ou seja, tanto pode recuar no terreno para auxiliar o meio-campo, como pode aparecer na área para fazer um golo. Dele Alli teve uma importância extrema nestes primeiros jogos devido à garra, pressão exercida e ao critério com que jogou. De momento, tem mais liberdade em campo do que com Pochettino, porque o treinador argentino prendia-o mais num corredor do setor atacante e privava-o de exibir a sua qualidade.

José Mourinho está rendido a Heung-min Son. O coreano é incansável e é o principal desequilibrador do jogo do Tottenham. Nos cinco jogos sob o comando do português, o avançado coreano foi autor de dois golos e fez cinco assistências.

Na partida contra o Burnley, marcou um golo sensacional conduzindo a bola desde a área defensiva até à baliza contrária, deixando para trás toda a equipa adversária. O Special One tem um carinho especial por Son e apelidou-o de "Sonaldo Nazário" - alusão a Ronaldo, o Fenómeno - depois desse momento.

O avançado Harry Kane também tem estado em destaque e ainda na última partida, tal como o colega da frente de ataque, Heung-min Son, protagonizou um dos momentos do jogo, com uma excelente execução de remate, que resultou no primeiro golo do encontro.

É visível que Mourinho quer partir para o ataque organizado com uma linha defensiva de três jogadores. Quando um dos laterais sobe em funções ofensivas, o outro fica ao lado dos centrais, construindo essa linha defensiva, com vista a provocar mobilidade no resto dos setores e também para prevenir um eventual contra-ataque perigoso, isto com o médio defensivo a proteger essa linha e a bloquear as investidas adversárias. O Tottenham na época passada sofreu uma série de golos devido à inferioridade numérica na transição defensiva, o que certamente chamou à atenção de José Mourinho, que procurou resolver esse problema.

O Tottenham tem agora uma oportunidade, contra o Bayern de Munique, na Liga dos Campeões, para testar a equipa contra um colosso europeu, visto que ambos já passaram à próxima eliminatória com os lugares definidos e vão atuar sem pressão.

A nível de golos sofridos, o problema ainda não foi totalmente corrigido: os Spurs sofreram oito golos nos cinco jogos realizados, mas nenhum treinador consegue aplicar a estratégia pretendida em tão pouco tempo e este Tottenham ainda precisa de ganhar mais rotinas e consolidar ideias para que a estrutura seja compacta.

Com esta equipa de Mourinho, nota-se uma maior pressão e uma linha defensiva mais subida. Mourinho parece estar com ideias mais ofensivas e a pressão começa na frente de ataque, o que faz lembrar um pouco o F.C. Porto do Special One. A reinvenção do seu futebol parece estar a acontecer e este Tottenham promete mexer com o futebol inglês e europeu.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG