Exclusivo

O outro português que quer levar o PSG à glória

O outro português que quer levar o PSG à glória

Aos 33 anos, João Sacramento é um dos adjuntos mais conceituados do Mundo e nunca trabalhou em Portugal.

Imaginando um cenário hipotético em que o Paris Saint-Germain, por fim, dá sentido a todos os milhões investidos e conquista a Liga dos Campeões em 2022/23, será impossível apagar a influência portuguesa nesse feito. Luís Campos, claro. O homem que já fez história no Mónaco e no Lille é o novo cérebro do projeto e chegou a Paris, supostamente pela indicação de Mbappé, para revolucionar a política desportiva do clube e dar-lhe mais critério na escolha dos jogadores e do treinador. Mas também João Sacramento, recrutado para ser o número dois de Christophe Galtier e que, atualmente, é um dos treinadores adjuntos mais conceituados do futebol europeu. Já passou por Mónaco, Lille, Tottenham e Roma, e agora vai trabalhar com Mbappé, Messi, Neymar e companhia. Aos 33 anos...

Galtier não é, portanto, o único nem o primeiro treinador a tirar proveitos da assistência de Sacramento - algo que até já aconteceu no Lille. Claudio Ranieri, Leonardo Jardim, Marcelo Bielsa e José Mourinho são outros que contaram com o interesse e conhecimento de alguém que, desde cedo, se destacou pela atenção aos pormenores táticos, pelo estudo do jogo, pela inovação no treino e nos exercícios e pela audácia nas abordagens estratégicas. O elo que une tudo isto é Luís Campos, um dos primeiros em reconhecer competência e potencial ao agora adjunto do PSG. Levou-o para o Mónaco, contratou-o para o Lille e, fruto da amizade e da ligação que os une, convenceu Mourinho a apostar em João Sacramento, quando rumou ao Tottenham. Na Roma, a parceria desfez-se ao fim de alguns meses.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG