Rali de Portugal

O perfil de Rovanpera: nascido para correr e vencer

O perfil de Rovanpera: nascido para correr e vencer

A fama chegou aos oito anos como sinal dos tempos modernos, mas seria aos 20 que escreveria o primeiro capítulo de uma história que promete muitos mais recordes no mundo dos ralis. Eis Kalle Rovanpera, o grande vencedor do Rali de Portugal 2022 e líder do Mundial WRC.

Jyvaskyla tem apenas 144 mil habitantes, mas a terceira maior cidade da Finlândia pode e deve orgulhar-se de ter pilotos que sabem o que é vencer no Campeonato do Mundo de Ralis. Tommi Makinen conquistou quatro títulos consecutivos entre 1996 e 1999 e, dois anos depois, seria o conterrâneo Harry Rovanpera a ganhar o Rali da Suécia, primeiro e único triunfo de uma carreira em que somou, ainda, 15 pódios e 77 vitórias em especiais.

Eram tempos felizes na casa dos Rovanpera, já que, apenas quatro meses antes, tinha nascido Kalle, que bem cedo mostrou a versão finlandesa do clichê "filho de peixe sabe nadar". Mas, neste caso, a fama até chegou antes do proveito.

PUB

Começou a conduzir motos com apenas três anos, aos seis experimentou um carro pela primeira vez e aos oito o seu rosto correu o mundo. Um vídeo do jovem Kalle a pilotar, com grande mestria, um carro de rali do pai nas estradas de terra batida perto de casa tornou-se viral e não faltou quem o apontasse imediatamente como uma futura estrela dos ralis.

Carta de condução "especial" aos 17

Não estavam enganados. Aos 14 anos participou no primeiro rali, na Estónia, mas apenas lhe foi permitido conduzir em superespeciais, quando nos restantes troços era o antigo navegador do pai, Risto Pietilainen, que pegava no volante. Depois dos primeiros títulos regionais entre 2015 e 2017, surgiu o convite para participar na fase final do Mundial WRC 2017.

No entanto, havia uma formalidade que podia deitar tudo a perder. Kalle não tinha carta de condução, algo obrigatório para correr no Mundial de ralis, e foi preciso pedir uma autorização especial às instituições finlandesas. E, um dia depois do 17.º aniversário, o jovem passou - como não? - no exame de condução, a tempo de ainda participar em duas provas do WRC.

A primeira experiência foi no Rali da Grã-Bretanha e, à segunda, Kalle fez história. Ao volante de um WRC2, foi décimo na Austrália e tornou-se no mais jovem piloto de sempre a pontuar no Mundial, antes de bater o recorde mais mediático.

Foi com 20 anos e 290 dias que Rovanpera venceu o Rali da Estónia de 2021, o mais novo a consegui-lo nos 50 anos de história do Mundial WRC, e ainda triunfaria na Acrópole para fechar o campeonato em quarto lugar, um pequeno aperitivo do que estava para vir.

Manteve-se na equipa Toyota Gazzo Racing para a nova temporada, que tem sido praticamente perfeita. Depois do quarto lugar a abrir em Monte Carlo, Rovanpera venceu na Finlândia, Croácia e, agora, Portugal, liderando o campeonato de forma destacada e tornando-se no principal favorito ao título de campeão do Mundo.

Kalle tem talento, tem velocidade e, por estranho que pareça, tem muita experiência com apenas 21 anos. Resta saber quão alto voará o apelido Rovanpera no Mundial WRC.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG