Desporto

"Objectivo é amealhar títulos para ultrapassar o Benfica", afirmou Villas-Boas

"Objectivo é amealhar títulos para ultrapassar o Benfica", afirmou Villas-Boas

O treinador do F.C. Porto, André Villas-Boas, afirmou, em conferência de imprensa, que o grande objectivo do clube é continuar a perseguir títulos e ultrapassar o principal rival, o Benfica, "se é que já não o fez, mesmo considerando a Taça Latina".

"Temos já a oportunidade maravilhosa de jogar mais dois títulos no início da próxima época - a Supertaça europeia e a Supertaça Cândido de Oliveira", afirmou Villas-Boas após a conquista da Taça de Portugal, graças a uma goleada sobre o Vitória de Guimarães, por 6-3, no Estádio Nacional.

Mostrando satisfação pela conquista do quarto título da época, Villas-Boas considerou importante "manter o mesmo talento e a mesma competência para traçar objectivos mais altos, mas focados no principal: a conquista de mais um campeonato".

Sobre o jogo em si, o treinador admitiu que "as coisas podiam ter dado para qualquer dos lados, sobretudo após o segundo golo do Vitória de Guimarães", considerando que "o momento do jogo foi o penalti defendido por Beto e o golo conseguido na resposta, o que deu tranquilidade".

"Na segunda parte, conseguimos controlar o ímpeto adversário e ainda fazer mais um golo", referiu o técnico.

Passando o assunto para a próxima época, o treinador dos 'dragões' comentou as palavras do presidente do clube, Pinto da Costa, que disse horas antes que iria tentar segurar os jogadores nucleares: "O discurso não é novo, pois estamos focados em conquistar mais campeonatos".

"Vamos iniciar a próxima época a tentar conquistar dois importantes troféus para a história do clube", afirmou, acrescentando um detalhe: "Em 2003/04 falhámos a Supertaça Europeia e para o conseguirmos agora temos que reunir o melhor talento e competência como fizemos este ano".

Comparando a final da Liga Europa, em Dublin, onde o F.C. Porto venceu o Sporting de Braga por 1-0, Villas-Boas reconheceu que, este domingo, a equipa mostrou "desequilíbrios defensivos, o que não é costume", justificando com a "sobrecarga de jogos".

"O F.C. Porto fez 58 encontros, talvez a época com mais jogos de sempre, e isso pesa", disse o treinador, justificando "falhas de concentração normais nessas circunstâncias, felizmente com muitos troféus conquistados".

Com a Liga dos Campeões no horizonte, Villas-Boas não quer que se façam especulações: "Jogaremos contra as melhores equipas do Mundo e seremos uma delas, mas não se especule com isso".

"Temos que cair na real e temos a consciência de que nem sempre as melhores equipas ganham na 'Champions', onde há uma série de factores que pesam, como a sorte nos grupos, por exemplo", disse o treinador.

Relativamente ao único troféu que não conquistou este ano, Villas-Boas falou da futura abordagem portista à Taça da Liga, afirmando que o "enquadramento na prova será diferente, voltado para a formação e experimentação de jogadores".

"Vamos associar ainda mais a formação ao futebol profissional e abordar a Taça da Liga com esse objectivo", concluiu.