Futebol

Olhanense pondera apresentar recurso da decisão do TAD

Olhanense pondera apresentar recurso da decisão do TAD

O Olhanense considerou que a decisão tomada hoje pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), confirmando a subida de Vizela e Arouca à LigaPro, "não encerra necessariamente" o processo, ponderando apresentar recurso no prazo de 15 dias.

"Esta decisão não encerra necessariamente este processo. É só mais uma etapa desta já longa luta pela legalidade e pela defesa dos nossos legítimos direitos", disse à agência Lusa o presidente da Olhanense SAD, Luís Torres.

A formação algarvia, que liderava a Série D do Campeonato de Portugal, contestou a decisão da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) de promover à LigaPro Arouca e Vizela, as duas equipas com mais pontos no terceiro escalão, na sequência do cancelamento dos campeonatos devido à pandemia de covid-19.

O dirigente do Olhanense lembrou que os efeitos da providência cautelar se mantêm, uma vez que a "decisão ainda não transitou em julgado" e que o emblema algarvio poderá recorrer para o Tribunal Central Administrativo do Sul, no prazo de 15 dias.

"Vamos, de forma ponderada, analisar os fundamentos do acórdão para decidir sobre as medidas a implementar, incluindo um possível recurso. O que é certo é que, enquanto a providência cautelar mantiver os seus efeitos, a decisão não pode ser executada", afirmou Luís Torres, sem adiantar se a possibilidade de recurso será mesmo concretizada.

O acórdão foi aprovado por maioria (três contra um), mas o presidente da Olhanense SAD destacou o voto vencido do juiz presidente João Miranda, "defendendo na sua declaração que condenava em absoluto as ações da FPF", frisou.

Quando a competição foi suspensa, a 12 de março, e depois dada por concluída, a 8 de abril, o Vizela liderava a Série A, com 60 pontos, e o Arouca era o primeiro da Série B, com 58, enquanto o Olhanense comandava a Série D, com os mesmos 57 do Real, e o Praiense liderava a Série C, com 53.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG