Liga dos Campeões

Sporting: passeio a Amesterdão dá para fazer muitas experiências

Sporting: passeio a Amesterdão dá para fazer muitas experiências

Ruben Amorim poupa vários jogadores a pensar no duelo da Liga com o Boavista. Neerlandeses podiam ter marcado mais golos diante de
um leão já apurado

O treinador Ruben Amorim arriscou ao apostar num onze muito jovem, frente ao Ajax, em Amesterdão, e acabou por pagar a fatura: o Sporting, que já estava qualificado para os oitavos de final, perdeu, por 4-2, num duelo disputado a um ritmo lento e que nunca teve grandes motivos de interesse, apesar do elevado número de golos.

Com vista a poupar jogadores para o próximo duelo do campeonato, diante do Boavista, apenas quatro futebolistas utilizados diante do Benfica foram opções iniciais, casos de Luís Neto, Ugarte e Matheus Reis. Apesar de tudo, a exibição não foi uma desilusão: aqui e ali, os leões assinaram pormenores interessantes, suficientes para sonhar com um futuro promissor.

A equipa fez uma boa primeira parte, chegou a empatar, mercê de um golo de Nuno Santos, após a abertura do marcador por parte de Haller, mas antes do intervalo Antony fez o 2-1. Dois erros individuais ditaram os golos neerlendeses, no primeiro Bragança precipitou-se ao pisar um adversário na sua grande área, o que deu origem a uma falta para penálti, e no segundo, Gonçalo Inácio ofereceu a bola aos avançados do Ajax.

No segundo período, o campeão nacional perdeu capacidade de luta e sofreu dois golos de rajada, por Neres e Berghuis, que sentenciaram a partida a favor do rival, que fez história ao garantir só triunfos em todos os jogos na fase de grupos. A seguir, Martínez falhou o quinto por muito pouco, a bola foi ao poste.

Bomba de Tabata

PUB

Bruno Tabata ainda encontrou fôlego para reduzir a desvantagem, numa bomba indefensável, e a partida manteve-se aberta, com os treinadores a promover várias substituições, para melhorar o rendimento das equipas e dar minutos a atletas menos utilizados.

Já com alguns pesos pesados em campo, o Sporting até poderia ter marcado mais golos. Pedro Gonçalves, Paulinho e Sarabia deram mais qualidade, sobretudo no ataque, e acrescentaram metros à equipa, aspeto em que esteve sempre em desvantagem.

No entanto, também é justo referir que o Ajax poderia ter também construído um resultado mais robusto. Muito forte em ataque posicional e com alta pressão nas saídas de bola, conseguiu neutralizar o Sporting, em especial após o intervalo, e deu sempre a sensação de que poderia ter vencido por uma margem mais dilatada caso tivesse acelerado mais durante os 90 minutos. Mas o Ajax nunca o quis, tal como o Sporting o seu objetivo era o de preservar a equipa para a liga dos Países Baixos.

Mais: Tabata marcou um excelente golo e João Virgínia mostrou-se, apesar do resultado gordo. Haller fez história ao marcar em todos os jogos do grupo.

Menos: Um erro pouco habitual de Inácio deu origem ao segundo golo, ao precipitar-se na saída de bola. Já Bragança fez uma falta evitável no lance que originou o penálti.

Árbitro: Trabalho sóbrio do árbitro com decisões quase sempre acertadas. No capítulo disciplinar, esteve bem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG