Desporto

Patrocinador do ciclismo do F. C. Porto diz que Sporting pode ter sido enganado

Patrocinador do ciclismo do F. C. Porto diz que Sporting pode ter sido enganado

Adriano Quintanilha, principal patrocinador da nova equipa de ciclismo W52-F. C. Porto-Porto Canal, defendeu que Bruno de Carvalho poderá ter sido enganado no processo que terminou hoje com a quebra do pré-acordo com os 'leões'.

"Vou ser sincero: ao almoço estive reunido com pessoas ligadas ao Sporting, não chegámos a um consenso. Lamento que o presidente não estivesse por dentro daquilo que se estava a passar ou estivesse a ser enganado por alguém", disse o proprietário da W52 ao Porto Canal.

Adriano Quintanilha assegurou estar de "cara bem levantada para fazer a união com o F. C. Porto".

"Gostaria que as três equipas 'grandes' estivessem ligadas ao ciclismo. Era bom para que houvesse mais rivalidade e mais gente nas estradas, a valorizar o esforço que o ciclista faz durante a época. A única pessoa que apareceu e apresentou um projeto viável foi o senhor Pinto da Costa e o acordo tem viabilidade, no mínimo, para cinco anos", declarou.

Este domingo de manhã, a W52, através da Associação Vintagepódio - Clube de Ciclismo, anunciou que não chegou a ser concretizada a proposta final para se associar ao Sporting para a próxima temporada velocipédica.

Já depois de anunciada a parceria da equipa de Sobrado com o F. C. Porto, os 'leões' emitiram um comunicado, no qual explicavam que tinham decidido suspender o acordo com a W52, depois de a formação não ter esclarecido as dúvidas dos 'leões' quanto a "procedimentos relacionados com análise e controlo antidoping".

"Já após a apresentação à imprensa do regresso do ciclismo ao Sporting e na sequência de diversos contactos por parte de sportinguistas seguidores da modalidade, teve o clube conhecimento de diversos factos e situações que suscitaram e suscitam as maiores e mais sustentadas dúvidas sobre procedimentos relacionados com análise e controlo antidoping por parte dos promotores do projeto", começa por revelar o clube de Alvalade.

De acordo com a nota, os 'leões' imediatamente procuraram obter "esclarecimentos, informações e respostas" por parte da W52 em relação aos atletas que iriam fazer parte da equipa, ao suporte de patrocinadores para a mesma e também em questões que punham em causa "valores de ética e verdade desportiva", dos quais o Sporting "não abre mão em circunstância alguma".

"Por parte dos promotores do projeto, as respostas não foram inicialmente dadas e, após reiteradas tentativas, foram insuficientes e não esclarecedoras", acusou o Sporting.