Desporto

Paulo Bento minimiza comportamento de Quaresma na Madeira

Paulo Bento minimiza comportamento de Quaresma na Madeira

Paulo Bento assegurou esta segunda-feira que a exaltação de Ricardo Quaresma, no final do encontro com o Nacional, na Madeira, "não terá qualquer tipo de influência" na convocatória da seleção portuguesa para o Campeonato do Mundo de futebol.

O técnico, que falava à margem da conferência "Falar de Futebol", a decorrer em Lisboa, acedeu a comentar a situação do extremo portista, tendo em conta os "comentários feitos a pessoas da Federação Portuguesa de Futebol".

Ainda assim, Paulo Bento garantiu que o comportamento do jogador do FC Porto, após a derrota na Madeira (2-1), não vai influenciar uma possível inclusão de Quaresma na lista final para o Mundial2014, que será divulgada no dia 19 de maio.

PUB

"Aconteceu num jogo que nada teve a ver com a seleção nacional. Esse episódio não terá qualquer tipo de influência na minha tomada de decisão. A minha tomada de decisão estará direcionada para jogadores que, do ponto de vista técnico-tático e emocional, possam corresponder a todas as dificuldades que vamos encontrar nesta fase final e nada mais do que isso", afirmou.

Por outro lado, Paulo Bento apontou os eventuais "problemas físicos" dos jogadores como "a maior das preocupações" nesta fase da temporada, considerando que "falta demasiado tempo" para ter certezas quanto ao grupo final.

"Falta demasiado tempo para termos certezas do que se vai passar até dia 19. Os problemas físicos que possam ocorrer, serão, muito possivelmente, a maior das preocupações de todos os selecionadores. É desagradável para os jogadores, que deixam de fazer aquilo que mais gostam, e para nós selecionadores, que ficamos com menos opções", referiu.

Mais tarde, já no decorrer da conferência conjunta com Carlos Queiroz e Fernando Santos, o selecionador nacional deixou em aberto a possibilidade de convocar, em simultâneo, Miguel Veloso, William Carvalho e o luso-brasileiro Fernando, três atletas que atuam na mesma posição, mas que oferecem "características diferentes".

"Num leque de 23 jogadores, há alguns deles que achamos que, pela polivalência, são extremamente importantes. Apesar de serem três jogadores que jogam na mesma posição e que se sentem mais confortáveis a jogar como único ?pivô', são jogadores de caraterísticas diferentes. O problema é ter jogadores lesionados e não jogadores aptos. Quanto mais escolhas houver, melhor deverá ser o nosso trabalho", justificou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG