Dakar

"Paulo Gonçalves? Acordei às 4h30 a desejar que fosse um pesadelo"

"Paulo Gonçalves? Acordei às 4h30 a desejar que fosse um pesadelo"

Pedro Bianchi Prata correu no Dakar poucas horas depois de "um dia muito, muito duro", devido à morte do motard português.

Pedro Bianchi Prata (PH Sport) subiu um lugar na classificação dos SSV no Rali Dakar de todo-o-terreno mas isso foi o menos da oitava etapa, a primeira depois da morte de Paulo Gonçalves, durante a etapa de ontem, na sequência de uma queda.

"Cada quilómetro parecia demorar horas [a passar] dentro do carro, cada perigo parecia ter em si o dobro do perigo", disse Bianchi Prata, navegador do zimbabueano Conrad Rautenbach, com quem faz dupla.

"Foi muito difícil este primeiro dia a saber que o Paulo não está cá. Pus o despertador para as 5.15 horas, mas acordei às 4h30, a desejar que fosse um pesadelo, mas é a realidade. Um abraço a todos e vamos tentar continuar aqui fortes", concluiu o portuense, amigo chegado do Paulo Gonçalves.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG