Futebol

Paulo Sérgio: "A expulsão foi o momento-chave"

Paulo Sérgio: "A expulsão foi o momento-chave"

O treinador do Portimonense defendeu que a expulsão de Pedro Sá, na segunda parte, acabou por ser determinante para a derrota frente ao sporting (3-1), depois de ter marcado primeiro, esta quarta-feira à noite, em jogo da 16.ª jornada da Liga Portugal.

"Parece-me que a expulsão foi o momento-chave. Até lá, o Sporting não tem uma grande ocasião de golo. Tem a bola, porque a demos, porque optámos por defender mais baixo, o domínio, consentido por nós. Procurámos surpreender o Sporting, com o espaço nas costas, com momentos que preparámos. Temos quatro ameaças. Ainda antes do 1-1, temos uma saída pelo lado direito que levou bastante perigo", avançou Paulo Sérgio sobre a análise ao jogo.

E continuou: "Com 11 é difícil, com 10 é uma tarefa hercúlea, que os atletas conseguiram desempenhar. No 1-1, com a falta de oxigénio, começámos a cometer erros, porque tínhamos superioridade na área. Não tínhamos necessidade de deixar o Paulinho sozinho na área. Sporting acabou por fazer o resultado. Temos uma cabeçada antes do 3-2. Tivemos comportamento exemplar. Quero dar os parabéns ao Sporting e aos meus jogadores. Voltámos a criar problemas com 10, num jogo com muitas limitações, por castigo".

PUB

O técnico dos algarvios comentou a expulsão. "Desagrada-me a forma como o Pedro Sá recebe o primeiro cartão num lance no qual o Paulinho agride o Willyan sem bola. O meu capitão não tem tempo para falar. Falei com o árbitro, fez excelente trabalho, a não ser esse lance. Mas, o Pedro Sá nem chegou a falar e, depois, quando tem necessidade de uma falta tátca, ficámos com menos um", justificou.

o treinador do Portimonense anota que a equipa teve de se "adaptar" devido às ausências. "É para isso que somos profissionais. Tivemos que dar oportunidade a outros, que responderam muito bem", realçou.

Paulo Sérgio falou, ainda, sobre o que se pode esperar da equipa em 2022. Este Portimonense tem de continuar a saber reconhecer os passos que dá. A segunda volta vai ser dificílima, temos uma equipa muito jovem. Há que ter humildade, sem deslumbramento. Satisfeitos, porque se trabalha melhor com vitórias e com boas classificações. Cada jogo é uma final, até ao final do campeonato", completou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG