Futebol

Pedro Emanuel parte para a terceira aventura nas Arábias

Pedro Emanuel parte para a terceira aventura nas Arábias

Pedro Emanuel partiu, esta quinta-feira, para a Arábia Saudita, onde vai assumir o cargo de treinador do Al-Khaleej. Treinador português leva muita ambição na bagagem.

Em Portugal já orientou Académica, Arouca e Estoril, mas é no continente asiático que Pedro Emanuel se tem vindo a instalar e a fomentar uma carreira que já conta com um troféu conquistado na Arábia Saudita (King Cup of Champions).

O recém-promovido Al-Khaleej será o terceiro clube que o antigo defesa vai orientar na principal divisão da Arábia Saudita, depois de Al-Tawoon (2018/19) e Al Nassr (2021/22). De bagagem na mão, Pedro Emanuel admitiu, ao JN, que parte para a nova etapa "com a ambição de se reinventar, bem como à equipa técnica".

PUB

No momento de descrever a nova aventura, o técnico, 47 anos, explica que aceitou o desafio como "uma nova forma de se colocar à prova", num local onde "já começa a construir algum nome" algo que o deixa "contente por ver que as portas da Arábia Saudita se mantêm abertas".

O Al-Khaleej venceu a segunda divisão saudita e subiu diretamente ao principal escalão do país asiático. Neste sentido, o técnico luso vê o regresso como uma espécie de fotocópia daquilo que já tinha feito quando entrou no país, na altura no Al-Tawoon, onde conseguiu "fazer um bom trabalho numa equipa de meio da tabela".

Perfeito conhecedor do campeonato português, Pedro Emanuel deixa escapar que irá "pescar alguns jogadores" em Portugal, já que sabem perfeitamente "o que os treinadores pedem aos atletas no campeonato nacional e que os tornam em jogadores de topo".

Sem esconder que "o aspeto financeiro é um grande atrativo para recrutar jogadores", o técnico falou ainda de Brayan Riascos como exemplo de um jogador com uma larga passagem por Portugal e que, entretanto, já assinou contrato pelo Al-Khaleej.

Por último, e quando questionado quanto à possibilidade do contrato de um ano indiciar um "piscar de olho" a um eventual regresso a Portugal, Pedro Emanuel esclareceu que "foi apenas uma forma de se precaver de situações similares à do Almería", onde existia um "contrato de três temporadas e fomos despedidos ao fim de três meses, quando estávamos no segundo lugar".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG