Atletismo

Pedro Pichardo: "Antes era difícil andar na rua"

Pedro Pichardo: "Antes era difícil andar na rua"

Pedro Pichardo, que conquistou a 24 de julho em Eugene (Estados Unidos da América), o título mundial do triplo salto, confessou que o reconhecimento que sente hoje dos portugueses é diferente do que existia no passado.

"Há dois ou três anos as coisas mudaram muito. Não podemos esquecer e negar as situações que aconteceram quando cheguei ao país. Antes era mais difícil quando andava na rua, havia muitas polémicas", lembrou o atleta nascido em Cuba e naturalizado português em 2017.

O atleta, que juntou o ouro do Mundial, graças a um salto de 17,95 metros, ao olímpico conquistado há um ano nos Jogos Tóquio2020, garante que a realidade, hoje, é outra.

PUB

"Depois tudo mudou e as pessoas já falam melhor comigo. Já consigo falar português e percebo melhor também. Tudo tem mudado, agora, mesmo quando vou ao 'shopping' ou supermercado com a minha família, ou ando pela rua, tem sido muito bom", refere.

Já a pensar no Campeonato da Europa de Atletismo, que decorre em Munique (Alemanha), de 15 a 21 de agosto, e na Liga Diamante, o saltador não hesita em apontar ao lugar mais alto do pódio.

"É como sempre digo: gosto de competir e ganhar. Na minha cabeça está sempre a vitória. Tenho tido muitas competições e a viagem da América deixou-me fatigado, mas já estamos a trabalhar e espero que a partir de sábado comecem a sair bons resultados", disse.

A ambição de Pedro Pichardo leva-o a afirmar que bater o recorde do mundo, cujo recordista mundial é o britânico Jonathan Edwards, com 18,29 metros, não é um sonho, mas um objetivo.

"Sonho é quando uma coisa está muito distante ou é até impossível de conquistar. No meu caso, tenho trabalhado e sinto-me muito bem física e psicologicamente também. Durante a competição estou com muita adrenalina e aí perco muitos centímetros. Já estamos a trabalhar a pensar nessa fase e agora resta esperar para ver o que acontece", vincou o atleta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG