F. C. Porto

Pinto da Costa recorda Reinaldo Teles como tendo "um coração enorme"

Pinto da Costa recorda Reinaldo Teles como tendo "um coração enorme"

Pinto da Costa, presidente do F. C. Porto, recordou esta quinta-feira Reinaldo Teles como um homem que "tinha um coração enorme e era um campeão", reagindo pela primeira vez à morte do amigo no editorial da revista Dragões.

O dirigente máximo dos dragões lamentou a "perda incalculável" e recordou o percurso do companheiro na liderança do clube. "A maldita pandemia que deu a volta às nossas vidas em 2020 levou-nos o nosso querido Reinaldo Teles. É uma perda incalculável para a família, para mim e para o F. C. Porto. Conheci o Reinaldo há mais de 50 anos, quando ele era atleta de boxe e eu era responsável pela secção e, já nessa altura, eram evidentes as características que todo o mundo do desporto viria a reconhecer nas décadas seguintes: era forte, competente, abnegado, leal e apaixonado pelo clube. Tinha um coração enorme e era um campeão", começou por escrever.

Pinto da Costa lembrou a altura em que começou a trabalhar com Reinaldo Teles na direção, admitindo que essa foi "uma das melhores decisões" que tomou: "Logo nos primeiros anos da minha presidência do F. C. Porto, em 1984, não hesitei em chamar o Reinaldo para colaborar com a direção, e o trabalho que ele desenvolveu desde essa altura até este ano, nas mais diversas funções e sobretudo no departamento de futebol, veio confirmar que essa foi uma das melhores decisões que eu alguma vez tomei".

E prosseguiu: "A história do F. C. Porto, felizmente, está repleta de figuras eminentes, desde os fundadores e impulsionadores como António Nicolau de Almeida e José Monteiro da Costa até presidentes da craveira do Dr. Cesário Bonito e do Sr. Afonso Pinto de Magalhães e dirigentes como Pôncio Monteiro, Teles Roxo e Armando Pimentel, entre muitos outros. Considero que o Reinaldo Teles conquistou há muitos anos o direito a figurar nessa galeria de ilustres. E a recordação do seu exemplo, da sua dedicação e do amor que colocava em tudo o que fazia ao serviço deste clube continuarão a ser, para mim e para todos os que tentam tornar o F. C. Porto cada vez maior, um estímulo inexcedível".

O presidente portista lembrou ainda o triunfo dos azuis e brancos em Marselha, a contar para a fase de grupos da Liga dos Campeões, e que aconteceu no dia da morte de Reinaldo Teles, a 25 de novembro.

PUB

"A morte de Reinaldo Teles aconteceu num dia em que ele, se pudesse estar presente, teria sentido uma grande alegria. A 25 de novembro vencemos em Marselha, num dos estádios mais complicados da Europa, e menos de uma semana depois, no Dragão, confirmámos o apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões", concluiu.

Pinto da Costa revelou o orgulho no apuramento do F. C. Porto para os oitavos de final da Champions, lembrando como é complicado consegui-lo.

"É muito difícil estar constantemente a disputar as fases mais adiantadas de uma competição tão dura, mas o F. C. Porto tem-no conseguido muitas vezes, e com o Sérgio Conceição como treinador esta já é a terceira qualificação. O mérito da equipa e de todos os que a constituem é inquestionável. E o orgulho que o F. C. Porto deve representar para Portugal também. Uma vez mais foi o futebol, tão desprezado por quem nos governa, a colocar o nome do país no topo do mundo. Apesar das dificuldades que cada vez mais nos impõem, continuaremos a tentar levar ainda mais longe esta história tão bonita", concluiu o presidente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG