Mundiais

Portugal com ambição nos Mundiais de canoagem

Portugal com ambição nos Mundiais de canoagem

Portugal apresenta-se nos Mundiais de canoagem com ambição, no grande teste da época que decorrerá de quinta-feira a domingo em Moscovo, depois de há um mês ter conquistado os melhores resultados de sempre nos Europeus da Alemanha.

"Os Europeus correram acima das melhores expetativas, com seis medalhas, mas esta é a prova mais importante da época. Desta vez vamos competir apenas nas distâncias olímpicas, para aferirmos do nosso nível e extrair conclusões em termos estratégicos para o próximo ano", explicou à Lusa o vice-presidente para a alta competição, Ricardo Machado.

Teresa Portela tem a complicada missão de tentar repetir os dois pódios, nomeadamente após o bronze nos olímpicos K1 200 e 500, e a dupla Emanuel Silva/João Ribeiro, ouro em K2 500 nos últimos Europeus e nos Mundiais de 2013, vai agora disputar os 1.000, distância olímpica, na qual Portugal conquistou a prata em Londres2012, na altura com Emanuel e Fernando Pimenta.

Estes três atletas e David Fernandes completam o K4 1000 que vem também do bronze Europeu, depois da prata em 2013 e ouro em 2012, na altura com recorde do Mundo - pela consistência de resultados, esta tripulação é uma das grandes esperanças nacionais para brilhar no Rio2016.

Depois do quinto lugar nos Europeus no desejado K1 1000, que soube a pouco para as suas aspirações, Fernando Pimenta procurará lutar pelas medalhas na sua tripulação de sonho, sendo que agora tudo é ainda mais complicado, com mais adversários cotados.

Nas canoas, Hélder Silva tem o desafio de mostrar a firmeza do seu crescimento que culminou com o bronze nos Europeus, o melhor resultado da história da especialidade, na pista.

Em termos de tripulações, em relação aos europeus apenas uma troca, no K4 feminino, no qual Francisca Laia cedeu o lugar a Maria Cabrita na posição dois: este é um ano de testes, pois 2015 é o apuramento olímpico.

PUB

Na Alemanha, Fernando Pimenta foi bronze em K1 5000, prova que habitualmente fecha as competições internacionais, mas na qual Portugal abdica agora de participar, por não ser olímpica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG