Seleção

Portugal faz história e sagra-se campeão mundial de futsal

Portugal faz história e sagra-se campeão mundial de futsal

A seleção nacional de futsal venceu (2-1), este domingo, a Argentina, na Lituânia, e sagrou-se campeão mundial de futsal pela primeira vez. Pany bisou pela equipa das quinas.

Jorge Braz bem dizia que Portugal era melhor e que ia vencer. De facto, foi ver, chegar e ganhar: na primeira final de um Mundial que Portugal disputou, a equipa das quinas, também campeã europeia, triunfou, levou a taça para casa e logo frente à Argentina. Mas nem tudo foi fácil, longe disso, para os heróis do mar. Os lusos, que tinham um terceiro lugar como melhor resultado de sempre, tiveram de sofrer mas não se acanharam diante do detentor do título.

Na Lituânia, o Kaunas Arena contou com adeptos em peso e, na hora de cantar o hino, Ricardinho não conteve a emoção e foi às lágrimas naquele que foi o seu último jogo pela equipa das quinas. E depois de tanto, o capitão da seleção nacional não podia ter tido uma despedida com maior glória. Portugal inaugurou o marcador aos 15 minutos, por Pany Varela, já depois de a Argentina ter visto Borruto a ser expulso por agressão a Ricardinho.

Na segunda parte, Pany voltou a marcar mas a vantagem portuguesa de dois golos durou pouco, já que Claudino reduziu logo a seguir. A partir daí, Portugal sofreu a bom sofrer, com a Argentina a apostar tudo com o cinco para quatro nos três minutos finais, mas sem conseguir desfeitear o quadrado defensivo luso, nem um gigante Bebé na baliza.

PUB

No fim, a festa foi mesmo portuguesa. E ouviu-se o fado no Kaunas Arena.

"Estávamos no topo da Europa e fomos para o topo do Mundo"

No final do jogo, o herói da equipa das quinas não conseguiu conter a emoção: "Minha gente, não tenho palavras. Não sou o herói de Portugal. Este grupo todo, estes adeptos, nós somos uma nação valente. Lutámos sempre até ao fim, independentemente de bem ou mal jogado. Estamos no topo do Mundo. Estávamos no topo da Europa e fomos para o topo do Mundo", afirmou.

Já o selecionador nacional, Jorge Braz, disse ser "o homem mais feliz do mundo".

"O Objetivo da medalha foi pouco para nós, queríamos a Taça. Somos 17 fantásticos e queria dedicar este título a todos os portugueses e a todos os jogadores. Dissemos que daríamos a vida pelo país. Sou o homem mais feliz do mundo neste momento, com uma equipa destas. Foi mais do que merecido".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG