Mundiais

Portugal fora das finais no arranque dos Mundiais de canoagem

Portugal fora das finais no arranque dos Mundiais de canoagem

Portugal falhou o apuramento para as finais dos Mundiais de canoagem de Moscovo nas provas em que competiu esta quinta-feira, nomeadamente K1 1000 (Fernando Pimenta), K2 1000 (Emanuel Silva/João Ribeiro) e K4 500 feminino.

Campeões da Europa e do Mundo em K2 500, distância não olímpica, Emanuel e João uniram-se agora no K2 1000 (Emanuel e Fernando Pimenta foram vice-campeões olímpicos nesta prova), mas em prova dura falharam o objetivo, por apenas um lugar, na repescagem do terceiro melhor tempo das quatro séries.

A dupla do Sporting (Emanuel) e do Benfica (João) concluiu a sua regata em 3.32,294 minutos e ainda alimentou, até à última, a ilusão da final, mas a quarta semifinal foi mais rápida em cerca de três segundos e os portugueses foram assim relegados para a final B, entre o 10.º e o 18.º.

Finalmente na sua tripulação de sonho, o K1 1000, e após o "amargo" quinto lugar nos Europeus, Fernando Pimenta esteve aquém do esperado, vacilando na parte final e com isso falhando a regata das medalhas.

Na que foi claramente a mais lenta das quatro semifinais, Fernando Pimenta esteve na alçada do canadiano Adam Van Koeverden durante boa parte da prova, mas cedeu face ao impressionante final do eslovaco Peter Gelle.

Pimenta fez mais de três quartos da prova em segundo, passando aos 750 metros com 2,8 segundos de avanço para Gelle, mas nos derradeiros 250 metros foi ultrapassado e ainda perdeu mais de segundo e meio para o eslovaco.

O canoísta luso concluiu a prova em 3.32,220 e agora resta-lhe a final B, longe da ambição revelada nos últimos anos, quando reclamava uma oportunidade em K1, por ser o mais rápido em Portugal.

PUB

Poderá "vingar-se" na sexta-feira no K4 1.000 com Emanuel Silva, João Ribeiro e David Fernandes, tripulação que conquistou ouro (2012), prata (2013) e bronze (2014) nos derradeiros Europeus.

Joana Vasconcelos, Maria Cabrita, Beatriz Gomes e Helena Rodrigues estiveram ao nível possível neste momento, mas não foram além do sexto lugar na sua semifinal de K4 500, que apenas dá direito à final B.

As lusas ainda passaram em terceiro a meio da prova, mas não conseguiram resistir ao maior entrosamento das rivais e caíram para sexto, com 1.33,853, ainda assim a apenas 810 milésimos de segundo da final, que, desde 2007, apenas falhou por uma vez em provas internacionais, quando apresentou equipa jovem em 2013 nos Europeus de Montemor-o-Velho.

O K4 feminino perdeu a melhor canoísta, Teresa Portela, que agora se dedica em exclusivo ao K1 200 e 500, sendo a sua vaga disputada por Maria Cabrita e Francisca Laia (competiu nos Europeus, nos quais Portugal foi finalista), e teve as olímpicas Beatriz e Helena ausentes a época passada, por terem sido mães.

Na sexta-feira, Teresa Portela, em K1 200 e 500, Hélder Silva, em C1 200, e o K4 1.000 composto por Fernando Pimenta, Emanuel Silva, João Ribeiro e David Fernandes disputam as eliminatórias de manhã e à tarde tentam um lugar na final: no caso do K4, o triunfo vale passagem direta à regata das medalhas.

Estas quatro tripulações conquistaram medalhas de bronze nos Europeus da Alemanha, há um mês.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG