Andebol

Portugal sem argumentos para "vikings" cheios de força

Portugal sem argumentos para "vikings" cheios de força

Seleção lusa entra a perder no Europeu, diante de islandeses sempre superiores. Apuramento para a fase seguinte fica em risco, mas continua a ser possível

Esteve muito longe de ser uma estreia de sonho para Portugal na fase final do Campeonato da Europa, que decorre na Hungria e na Eslováquia. Há cerca de um ano, a seleção lusa tinha batido a Islândia no Mundial, mas desta vez os nórdicos foram bem melhores e ganharam sem discussão, por 28-24, deixando os portugueses pressionados na luta por um dos dois primeiros lugares do Grupo B.

Para passar à ronda seguinte sem fazer contas, a equipa de Paulo Jorge Pereira terá de ganhar à Hungria, já este domingo, e depois aos Países Baixos, na última jornada do grupo.

Se a regra tem sido elogiar os "Heróis do Mar" por vários excelentes jogos ao mais alto nível nos últimos anos, o que se viu em Budapeste torna isso impossível: Portugal jogou pouco, defendeu mal (o 6x0 nunca funcionou perante os sucessivos lances de 1x1 dos islandeses), cometeu falhas técnicas sem fim no ataque e teve jogadores a exibir-se muito abaixo do habitual.

Com peças chave de fora devido a lesões e uma preparação muito afetada pela pandemia, a seleção lusa não revelou argumentos para surpreender uma Islândia cheia de força, que só não esteve na frente do marcador nos minutos iniciais da partida. De resto, o resultado final de quatro golos de diferença nem é pesado para o que se viu.

Ficha do jogo

Portugal: Gustavo Capdeville (GR), Manuel Gaspar (GR); Diogo Branquinho (2), Alexandre Cavalcanti (1), Rui Silva (4), Victor Iturriza (4), Fábio Magalhães (3) e António Areia (3), Gilberto Duarte, Tiago Rocha, Daymaro Salina (2), Ángel Hernández, Miguel Alves (1), Miguel Martins, Salvador Salvador (1), Leonel Fernandes (3)
Treinador Paulo Jorge Pereira

PUB

Islândia: Gustavsson (GR), Viktor Hallgrimsson (GR); Aron Palmarsson (4), Bjarki Elisson (4), Elvar Jónsson (2), Ymir Gislason (2), Ómar Magnusson (3) e Sigvaldi Gudjonsson (5). Jogaram ainda Viggo Kristjansson (2), Olafur Gudmundsson (2), Gisli Kristjansson (4)
Treinador Gudmundur Gudmundsson

Local: Arena de Budapeste
Árbitros: Robert Schulze e Tobias Tonnies (Alemanha)
Ao intervalo: 10-14

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG