Andebol

Presença no Mundial "é mais do que merecida", diz presidente da Federação de Andebol

Presença no Mundial "é mais do que merecida", diz presidente da Federação de Andebol

Miguel Laranjeiro, presidente da Federação de Andebol de Portugal (FAP), afirmou esta sexta-feira que a presença da seleção nacional no Mundial de 2021, no Egipto é "mais do que merecida".

"Esta indicação de Portugal para o Mundial do próximo ano resulta do excelente desempenho da nossa seleção no Europeu de janeiro último [sexto lugar]. É mais do que merecida e o andebol português está de parabéns", disse Miguel Laranjeiro, aos canais de comunicação da FAP.

A seleção portuguesa recebeu uma das vagas ainda em aberto para o Mundial de 2021, a disputar no Egito, depois de a Federação Europeia de Andebol (EHF) ter anulado os play-offs de apuramento devido à pandemia de covid-19 e tendo como base a classificação no Europeu de 2020.

"O último Mundial em que participámos foi em 2003. Agora, depois do Europeu de 2020, estamos no Mundial de 2021. Parabéns a todos os que tornaram isto possível. Estamos a viver momentos difíceis para todos, mas estas notícias deixam-nos confiantes no futuro da modalidade", acrescentou Miguel Laranjeiro.

Portugal garantiu a presença no Mundial do próximo ano, no Egito, ao beneficiar do sexto lugar alcançado no Europeu de 2020, e já não terá que disputar os play-offs em julho, frente ao vencedor do confronto entre Israel e Letónia.

Com base na classificação final do Europeu de 2020, estão apuradas para a fase final do Mundial de 2021 as seleções da Eslovénia, Alemanha, Portugal, Suécia, Áustria, Hungria, Bielorrússia, Islândia, República Checa e França, que se juntam, no Egito, à campeã Dinamarca, à Espanha, Croácia e Noruega, já qualificadas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG