Futebol

Presidente da Lazio suspenso sete meses por não cumprir regras sanitárias

Presidente da Lazio suspenso sete meses por não cumprir regras sanitárias

O Tribunal Federal desportivo italiano aplicou, esta sexta-feira, sanções contra a Lazio por violação das normas sanitárias no combate à covid-19, nomeadamente ao presidente, Claudio Lotito, suspenso por sete meses.

Em comunicado, a Federação Italiana de Futebol (FIGC) informou que, além do presidente do clube, foram suspensos das suas funções dois médicos da equipa, Ivo Pulcini e Fabio Rodia, por 12 meses, enquanto o clube sofreu uma penalização pecuniária de 150 mil euros.

Em meados de fevereiro, os dirigentes da Lazio foram acusados de não terem alertado as autoridades sanitárias locais após os testes positivos de oito elementos do clube, em final de outubro, em véspera de um jogo da Liga dos Campeões, em Bruges, na Bélgica, e no início de novembro, antes de outro jogo da prova rainha da UEFA, em São Petersburgo, na Rússia.

A FIGC critica, ainda, a Lazio por "não ter impedido" três jogadores de participarem no treino coletivo do dia 03 de novembro, apesar de, na véspera, os mesmos terem tido um resultado positivo num teste para a covid-19, e de ter feito alinhar no campeonato jogadores que deveriam estar em período de isolamento obrigatório de, pelo menos, 10 dias.

O clube já reagiu e anunciou que irá recorrer dos pesados castigos aplicados ao presidente e aos médicos, bem como da multa.

Em Itália mais de 3,4 milhões de pessoas contraíram o vírus desde o início da pandemia, em fevereiro de 2020, das quais mais de 106 mil perderam a vida.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG