"Jogo Duplo"

Presidente da SAD do Leixões pede "tranquilidade e confiança"

Presidente da SAD do Leixões pede "tranquilidade e confiança"

O presidente da SAD do Leixões reagiu à condenação de proibição do clube participar durante dois anos nas ligas profissionais de futebol. Paulo Lopo diz que o "importante é ter tranquilidade e confiança".

O Leixões foi esta sexta-feira condenado a dois anos de proibição de participar na primeira Liga e na Liga Pro, no âmbito do julgamento do processo denominado Jogo Duplo, relacionado com viciação de resultados no futebol profissional português.

Numa primeira reação, publicada na página Facebook do Leixões, o líder da SAD escreveu: "Nesta hora o importante é ter tranquilidade e confiança".

Paulo Lopo agradeceu ainda as "mensagens de apoio e de surpresa por esta estranha decisão".

"O universo do Leixões tem de estar mais unido que nunca pois esta é mais uma oportunidade de ver que os nossos inimigos não estão dentro, mas fora do Leixões", frisou.

Na mesma publicação, o responsável da SAD anuncia ainda para segunda-feira, pelas 15 horas, uma conferência de imprensa para reagir à sentença.

O clube leixonense, atual 11.º classificado da Liga Pro, foi punido por um crime de corrupção ativa e condenado ainda ao pagamento de uma multa no valor de 60 mil euros.

Foram condenados a penas de prisão efetiva Gustavo Oliveira (seis anos e seis meses), Carlos Daniel Silva 'Aranha' (seis anos e nove meses), Rui Dolores (cinco anos e seis meses), Hugo Guedes (cinco anos e nove meses) e João Tiago Rodrigues (cinco anos e dois meses).

Os 27 arguidos do processo "Jogo Duplo" ficaram esta sexta-feira a conhecer o acórdão do julgamento, que se iniciou em 22 de fevereiro de 2018 e cuja leitura foi feita no Tribunal Central Criminal de Lisboa, no Campus da Justiça.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG