Sporting

Protocolo celebrado com Batuque é posterior à chegada de Jovane

Protocolo celebrado com Batuque é posterior à chegada de Jovane

Bruno de Carvalho, ex-presidente do Sporting, afirmou ao nosso jornal que Jovane Cabral chegou a Alvalade ao abrigo do protocolo com o Batuque FC, mas a transferência do jovem avançado ocorreu em 2014 e a parceria com o clube de Cabo Verde apenas foi celebrada em setembro de 2017, apurou o JN junto de fonte próxima do processo.

Jovane, recorde-se, chegou ao emblema leonino proveniente do Grémio Nhagar, mas o facto de ser um clube diferente do Batuque não seria incomum, visto que a formação fez uma parceria de scouting com o Sporting, conforme afirmou ao nosso jornal o destituído líder leonino. "O Batuque existe e pagámos 330 mil euros. Só que, por exemplo, ao abrigo desse protocolo veio um menino que vai valer milhões e que se chama Jovane Cabral. O protocolo era fazerem-nos o scouting em Cabo Verde", afirmou, ontem, sábado, em resposta às declarações da véspera de Frederico Varandas, presidente atual dos leões.

Fabricio Kone, Admirson Soares, Walter dos Santos Waxel, Widilton Santos Waxel, Kevin Patrick Alves Fortes, Junior Jorge Coelho da Cruz e Julmiro da Silva são os sete jogadores sobre os quais o Sporting ficou com direito de preferência no acordo que custou 330 mil euros aos cofres verde e brancos.

Ao JN, Bruno de Carvalho explicou um pouco mais a situação. "Muitas vezes, até se fazer um acordo demora tempo. Não tenho motivo para duvidar daquilo que os meus ex-colegas de administração me disseram. Ponho as mãos no fogo pela honorabilidade de todos. Foi o que me disseram, agora não tenho documentos para explicar mais. Com documentação consigo dizer tudo. Que esta informação me foi dada... Foi e não tenho motivos para duvidar", começou por dizer, acrescentando: "Se calhar houve por parte do Batuque a apresentação do Jovane... Ele também não começou logo a brilhar. Começou a dar nas vistas na época 2017/18. Se calhar aí é que se viu do protocolo. E continuo a dizer, olhando para um jogador como o Jovane, não vale a pena? Já li que estão a pensar acabar com o protocolo. Para quê? Se está pago, é aproveitarem. Quem sabe não aparece outro Jovane ou um Gelson".