Taça da Liga

PSP impõe tolerância zero à pirotecnia em Braga

PSP impõe tolerância zero à pirotecnia em Braga

Forças de segurança apertam vigilância sobre os adeptos e controlam movimentos de "casuals". Manifestação de agentes também preocupa.

A "final four" da Taça da Liga arranca terça-feira, mas o trabalho nos bastidores, tendo como principal meta a segurança no estádio, tem vindo a ser desenvolvido há muito tempo pelas entidades competentes e forças de segurança. Os recentes incidentes no V. Guimarães-Benfica e no Sporting-Benfica, com o arremesso de tochas e cadeiras, voltaram a agudizar a questão sobre o comportamento dos adeptos em recintos desportivos.

Face ao cenário, a ordem é para promover vigilância máxima, de modo a que os protagonistas sejam mesmo só aqueles que tocam a bola nas quatro linhas.

O plano de segurança está montado. As manifestações já anunciadas pelos principais nove sindicatos das forças policiais logo para o primeiro dia da "final four", em Braga, no jogo Braga-Sporting, constituem a principal preocupação da PSP, que em simultâneo terá uma "tolerância zero" em relação à circulação de engenhos pirotécnicos e uma atenção muito especial a "casuals" e a outros grupos inorgânicos de movimentos hooligans mais difíceis de controlar à priori. Ainda no que aos adeptos diz respeito, voltará a haver um sistema de separação estanque, entre os acessos e as bancadas, com gradeamentos amovíveis e eliminação das habituais áreas de restauração, sem rulotes, nas zonas das bilheteiras e das rotundas.

Ler mais na edição impressa ou na versão e-paper

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG