Desporto

Putin defende que Rússia deve competir em provas internacionais sob a sua bandeira

Putin defende que Rússia deve competir em provas internacionais sob a sua bandeira

O presidente russo, Vladimir Putin, considerou esta quinta-feira que qualquer punição por doping deve ser individual e não coletiva, defendendo que o país deve poder participar nas competições desportivas sob a sua bandeira nacional.

"O nosso país não precisa de competir sob bandeira neutra se não existir nenhuma repreensão concreta ao nosso comité olímpico. É isso que está escrito na Carta Olímpica", disse Putin, em conferência de imprensa.

O presidente russo defendeu que "qualquer punição deve ser individual" e prometeu "fazer tudo para manter o desporto russo limpo".

Putin considerou que a decisão da Agência Mundial Antidopagem (AMA) de excluir a Rússia das grandes competições desportivas mundiais durante os próximos quatro anos tem "motivação política".

A Agência Antidopagem Russa (RUSADA) deve decidir hoje se contesta junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) a decisão anunciada em 9 de dezembro pela AMA de excluir o país das competições mundiais durante quatro anos, devido a um sistema de dopagem com conhecimento e apoio estatal, tornado público há cerca de seis anos.

Rússia vai recorrer para o TAS da suspensão das competições internacionais

A Agência Antidopagem da Rússia (RUSADA) anunciou esta quinta-feira a intenção de recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) das sanções que excluem o país das competições internacionais durante quatro anos, entre as quais os Jogos Olímpicos.

O comité de supervisão da RUSADA emitiu esta quinta-feira uma recomendação para contestar as sanções impostas em 09 de dezembro pela Agência Mundial Antidopagem (AMA), devido a um sistema de dopagem com conhecimento e apoio estatal, tornado público há cerca de seis anos.

"Decidimos não aprovar a decisão da AMA. O assunto deve ser analisado num contexto legal", afirmou Alexander Ivlev, presidente do comité de supervisão, acrescentando: "Pensamos que a nossa argumentação é forte, mas não quero fazer prognósticos".

A aprovação da recomendação em Assembleia Geral da RUSADA deverá ser apenas um formalismo, tendo o apelo para o TAS merecido já os apoios dos comités olímpico e paralímpico do país e do presidente da Rússia.

Vladimir Putin afirmou hoje que "qualquer punição deve ser individual" e considerou que decisão da AMA tem "motivação política".

Segundo Alexander Ivlev, o recurso deverá chegar ao TAS "dentro de 10 a 15 dias", devendo depois ser analisado no prazo de três meses.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG