O Jogo ao Vivo

Clubes

Quatro grandes pagaram 176 milhões em comissões desde 2018

Quatro grandes pagaram 176 milhões em comissões desde 2018

Só entre abril de 2019 e março de 2020, F. C. Porto, Benfica, Sporting e Braga despenderam 77M€. No mesmo período, outros 21 clubes gastaram seis milhões.

Os quatro primeiros classificados do campeonato também são os líderes incontestados nas comissões pagas a empresários e intermediários na compra e venda de jogadores. Desde abril de 2018 até agora, F. C. Porto, Benfica, Sporting e Braga gastaram qualquer coisa como 176 798 187 euros em taxas de intermediação, segundo os dados oficiais publicados pela Federação Portuguesa de Futebol. À exceção dos minhotos, todos reduziram este custo no último ano - marcado pela pandemia -, sendo que o período entre abril de 2019 e março de 2020 foi o que mais dinheiro gerou em comissões e mostra bem a diferença entre os quatro grandes e os restantes clubes. Além disso, o empresário Jorge Mendes, proprietário da Gestifute, foi o que liderou mais negócios entre as principais vendas de Sporting, F. C. Porto, Benfica e Braga, ao estar envolvido em 18 operações.

Águias pagam mais

No conjunto dos três anos, muito à custa da transferência de João Félix para o Atlético de Madrid por 120 milhões, o Benfica foi o rei dos pagamentos a empresários, num total superior a 72 milhões de euros, seguido por F. C. Porto (mais de 55 milhões), Sporting (mais de 34M€) e Braga (mais de 14M€).

Foi entre abril de 2019 e março de 2020 que as empresas de agenciamento mais faturaram com o futebol português, recebendo qualquer coisa como 83 585 505 euros. Deste valor, mais de 77 milhões foram pagos pelos quatro principais clubes, enquanto os outros 21 que participaram nas duas ligas profissionais foram responsáveis por menos de 10% do total. Gastaram "apenas"

6 371 589 euros em taxas de intermediação.

Desde 2018 que os quatro grandes conseguiram, pelo menos, uma venda milionária, com reflexos óbvios nas comissões. No topo continua João Félix, enquanto a saída de Bruno Fernandes do Sporting para o Manchester United se fez por 55M€. Éder Militão foi do F. C. Porto para o Real Madrid por 50M€ - curiosamente só esta transferência não foi intermediada pela Gestifute - e Trincão deixou o Braga rumo a Barcelona a troco de 31M€. Estes quatro negócios renderam 256 milhões o que significa que, com a taxa habitual - a FIFA recomenda, mas não obriga, que os clubes paguem 10% aos agentes -, as empresas de intermediação receberam mais de 25 milhões de euros.

PUB

Sem surpresa, a Gestifute, de Jorge Mendes, continua a dominar os principais negócios, mas Pedro Pinho, em foco esta semana pelos acontecimentos em Moreira de Cónegos - negociou Quintero, Ricardo Pereira e Soares -, e Carlos Gonçalves também entram no top das vendas do F. C. Porto. A D20 Sports, que pertence ao antigo futebolista Deco, esteve em destaque na transferência de Raphinha do Sporting para o Rennes por 21 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG