Inglaterra

Quatro meses depois, o caminho de Villas-Boas volta a passar por Londres

Quatro meses depois, o caminho de Villas-Boas volta a passar por Londres

Depois de quatro meses no desemprego, André Villas-Boas vai voltar ao ativo para treinar o Tottenham, da Liga inglesa de futebol, a mesma onde durante nove meses orientou o "milionário" Chelsea, que deixou devido aos maus resultados.

Aos 34 anos, Luís André de Pina Cabral e Villas-Boas chega a White Hart Lane com um contrato de três anos, para substituir Harry Redknapp, demitido após quatro anos no comando técnico da equipa e depois de ter "falhado" a qualificação para a Liga dos Campeões.

Com os "Spurs", André Villas-Boas vai regressar à Liga Europa, competição que venceu com o F. C. Porto em 2010/2011, depois de a equipa ter sido afastada da "Champions" devido ao triunfo do Chelsea na competição.

A vitória da antiga equipa de Villas-Boas na final "milionária" de Munique, sobre o Bayern, fez com que o quarto classificado da Liga inglesa fosse "relegado" para a segunda competição de clubes europeia.

Quando se transferiu do F. C. Porto para o Chelsea, André Villas-Boas protagonizou a mais cara transferência de um treinador de futebol, com os londrinos a pagarem 15 milhões pela rescisão com os atuais campeões portugueses.

No Chelsea, onde foi substituído pelo seu adjunto Roberto Di Matteo, Villas-Boas não resistiu às más exibições e aos maus resultados, acabando por ser demitido após a sétima derrota na Liga Inglesa, e já a 20 pontos da liderança.

O Chelsea acabou por terminar a época na sexta posição da "Premiership", a 26 pontos do campeão Manchester City, "desaire" completamente esquecido com a concretização do sonho de Abramovich, que nem José Mourinho tinha conseguido: a conquista da Liga dos Campeões.

No verão de 2011, Villas Boas levantou-se da sua "cadeira de sonho", o posto de técnico do F. C. Porto, pouco mais de um ano depois de ter tomado as rédeas e guiar o clube numa temporada quase imaculada, conquistando a Liga Europa, a Liga portuguesa, sem qualquer derrota, a Taça de Portugal e a Supertaça.

O F. C. Porto de Villas-Boas ganhou o campeonato com 27 vitórias e míseros três empates - melhor só o Benfica de 1972/73 (28 triunfos e dois empates).

Para a história entrou também o sensacional percurso na Liga Europa, com 14 vitórias em 17 jogos e 44 golos, bem como quatro triunfos sobre o Benfica, entre eles um 5-0 caseiro, um 2-1 na Luz que selou o título e um 3-1 também na casa dos "encarnados", para a Taça, após um 0-2 caseiro.

A carreira do treinador André Villas-Boas começou "a sério" em 2009/2010, quando assumiu o comando técnico da Académica de Coimbra. Antes, havia orientado, com 23 anos, as Ilhas Virgens Britânicas, em dois jogos de qualificação para o Mundial, em 2000.

A sua carreira no futebol começou, porém, bem antes e já no F. C. Porto, através do então vizinho, o técnico inglês Bobby Robson, em 1994, com apenas 17 anos.

Villas-Boas trabalhou com Robson e, posteriormente, passou para a equipa técnica de José Mourinho, que acompanhou no F. C. Porto, Chelsea e Inter de Milão.

A 13 de outubro de 2009, Villas-Boas "desprendeu-se" de Mourinho e assumiu a "Briosa", que conseguiu manter na Liga, fazendo um trabalho suficientemente atrativo para despertar a cobiça de Sporting e F. C. Porto.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG