S. C. Braga

Reviravolta não passa de um sonho em saída digna

Reviravolta não passa de um sonho em saída digna

Italianos controlam a eliminatória com naturalidade e, mesmo tendo falhado um penálti, voltam a vencer (3-1). Esforço dos minhotos não dá frutos na finalização.

Pela terceira vez em quatro épocas, o Sporting de Braga caiu nos 16 avos de final da Liga Europa. Desta feita, a tarefa em Roma era complicada e acabou por se revelar impossível, mas a imagem deixada pela equipa de Carlos Carvalhal foi digna, com momentos de bom futebol, a que faltou a sempre importante questão da eficácia. O único tento na eliminatória só surgiu perto do fim e num autogolo de Cristante.

A derrota em casa (0-2), na primeira mão, deixara a equipa minhota numa situação muito difícil, na luta pelo acesso aos oitavos de final da prova. O Braga tentou reentrar na discussão, mas um golo de Dzeko, antes da meia hora, numa recarga a um remate de El Shaarawy ao poste, deixou os braguistas algo desmoralizados, no meio de uma montanha impossível de escalar.

Face a um calendário sobrecarregado, Carlos Carvalhal geriu o plantel, tendo apresentado seis novidades no onze inicial e, de certo modo, mostrou que os próximos compromissos na Liga, onde poderá chegar à Champions, e a luta pela presença na final da Taça de Portugal, são objetivos muito a ter em conta.

Ciente de que a tarefa, mesmo que jogando com um onze mais próximo do que habitualmente utiliza, seria sempre de dificuldade elevada, o técnico do Braga deixou vários titulares no banco, mas quem jogou tentou, pelo menos, alcançar um resultado positivo em Roma. Sem sucesso.

PUB

Mesmo a perder e cada vez com maiores dificuldades em virar a eliminatória, o Braga nunca desistiu, mas a Roma voltou a puxar do futebol pragmático da primeira mão, para sentenciar, de vez, a questão. Até começou por falhar um penálti (Pellegrini atirou para fora), mas o mesmo jogador redimiu-se logo a seguir, com um bom cruzamento, para Carles Pérez fazer o 2-0.

O ex-benfiquista Cristante, num desvio infeliz e após cruzamento de Zé Carlos, reduziu para o Braga, mas a Roma ainda teve tempo para voltar à vantagem de dois golos, num tento de Mayoral, após cruzamento de Spinazzola.

POSITIVO: Zé Carlos e Piazon em bom plano, mas a eficácia da Roma falou mais alto. Pau López seguro na baliza. Estreia de Hernâni, mais um jovem lançado por Carvalhal.

NEGATIVO: O Braga teve mais chances para marcar em Roma do que no primeiro jogo, mas falhou na finalização. Penálti desperdiçado por Pellegrini e o autogolo de Cristante.

ÁRBITRO: Penálti de João Novais sobre Carles Pérez (72) é indiscutível, mas ficaram dúvidas num derrube anterior (51m), na área italiana, a Sporar, não sancionado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG