Futebol

Rio Ave fala em "gesto reprovável" e de agressões ao adjunto

Rio Ave fala em "gesto reprovável" e de agressões ao adjunto

O clube de Vila do Conde emitiu, este sábado, um comunicado a reagir aos acontecimentos do jogo com o Boavista, no Bessa, que terminou empatado (3-3).

Numa longa nota, o Rio Ave começou por criticar o gesto de Miguel Cardoso, considerando-o "reprovável", e deixou críticas à equipa axadrezada, enumerando "estratégias totalmente contra o fair-play para tentar com isso tirar partido desportivo".

"Desde cedo, com anuência e intervenção direta de elementos afetos ao Boavista FC, as bolas de jogo foram diminuídas e retardada em exagero a sua reposição em campo até ao ponto de serem escondidas pelos próprios apanha-bolas. Tal situação mereceu reparo repetido da equipa de arbitragem e da equipa de delegados da Liga, mas o mesmo verificou-se até ao final do encontro. Mais, o camarote destinado ao staff e jogadores não convocados do Boavista FC, localizado atrás do banco da equipa do Rio Ave FC, insultou de forma quase constante os elementos do Rio Ave FC", pode ler-se.

O clube de Vila do Conde afirmou ainda que os jogadores do Boavista "festejaram em frente ao banco do Rio Ave FC, de forma provocatória e até recorrendo a insultos para os jogadores e técnicos adversários" quando marcaram o terceiro golo e garantiram que um treinador adjunto de Miguel Cardoso foi agredido já depois do apito final, no túnel de acesso aos balneários.

"Após o final da partida, e dando cumprimento ao regulamentado, o Diretor de Comunicação do Rio Ave FC e o treinador Miguel Cardoso dirigiram-se ao relvado para participarem na flash interview do operador televisivo (...) acabando por recolher quando se apercebem que do camarote afeto ao staff e jogadores não convocados do Boavista FC são dirigidos insultos graves ao treinador do Rio Ave FC. Ato contínuo, e já no interior do túnel de acesso aos balneários, um dos adjuntos de Miguel Cardoso é agredido por elemento não identificado do Boavista FC, e ainda ameaçado por outro. Situação presenciada pelos delegados da Liga e pela própria Polícia de Segurança Pública que tinha, naquele momento, vários efetivos presentes".

PUB

Os momento finais do jogo entre o Boavista e o Rio Ave (3-3), no Bessa, para a 26.ª jornada da Liga, ficaram marcados por muita confusão nos bancos, depois dos festejos do treinador do Rio Ave.

Numa altura em que os axadrezados venciam a equipa de Vila do Conde por 3-2, Fábio Coentrão fez o empate já nos descontos e Miguel Cardoso, treinador do Rio Ave, fez um gesto obsceno para o banco do Boavista, gerando uma grande confusão entre as duas equipas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG