Futebol

Rogério Alves explica polémica à volta do boletim de voto

Rogério Alves explica polémica à volta do boletim de voto

Rogério Alves, presidente da Mesa de Assembleia Geral do Sporting, explicou a numeração nos boletins de voto e considerou que a assembleia deste sábado cumpriu o objetivo de dar a palavra aos sócios leoninos.

Este sábado, os sócios do Sporting voltaram a pronunciar-se, desta vez para decidir o futuro de Bruno de Carvalho no Sporting. O ex-líder dos leões, bem como Alexandre Godinho, ex-membro do conselho diretivo, foram expulsos do clube de Alvalade, com 69,30% e 68,2%, respetivamente, e os boletins de voto estiveram sob polémica devido a uma possível irregularidade: depois de os sócios se registarem, recebiam o boletim que tinha, no canto inferior esquerdo, um número identificativo, deixando o voto de ser secreto.

Rogério Alves, presidente da Assembleia Geral do Sporting, explicou a numeração dos boletins de voto após divulgar os resultados da AG: "Como já expliquei muitas vezes, tem a ver com uma maneira de evitar a falsificação dos boletins de voto. Impedir, prevenir falsificação. É uma espécie de selo de garantia que foi produzido pelos serviços do Sporting", explicou, considerando a pergunta que vinha no boletim "clara".

"Não há nada nas assembleias gerais do Sporting que não seja passível de crítica. Para mim, a pergunta era claríssima, expressa. Quer o modelo de AG que foi adotado hoje, quer o tipo de voto, correspondem ao modelo utilizado em dezembro na outra AG em que houve oito votações de recursos. Naturalmente que é sempre possível fazer melhor. Mas para mim o voto é claríssimo. Se houver intenção de impugnar, tenho de considerar isso o exercício legítimo de uma faculdade. Mas os serviços já deixaram a garantia de que não há possibilidade de fazer a ligação ente boletim e votante", acrescentou, considerando que assembleia geral cumpriu o principal objetivo.

"Claro que todos os sportinguistas querem que haja estabilidade, fator decisivo para que tenhamos sucesso. Mas a AG tinha este objetivo, cumpriu o objetivo: dar palavra aos sócios. Os sócios manifestaram-se como entenderam e a partir de agora pensar-se-á no que tem de ser pensado", concluiu.

Outras Notícias