Inglaterra

Rooney recusa Everton por sentido de missão

Rooney recusa Everton por sentido de missão

O antigo avançado, Wayne Rooney, recusou entrar em conversações com o Everton, emblema pelo qual se estreou na Premier League, para assumir o cargo de treinador principal. Atualmente ao serviço do Derby County, da segunda divisão inglesa, Rooney sente que tem um "trabalho a fazer" com o clube.

No 16.º lugar da Premier League, o Everton até teve um bom início de temporada com quatro vitórias nos cinco primeiros jogos, mas a partir daí começou o pesadelo. Em 18 partidas para as competições internas venceu apenas três vezes e está a quatros pontos da zona de despromoção.

Este mau momento levou os responsáveis dos Toffees a procurar sucessor para Rafa Benítez e viram em Wayne Rooney o treinador certo para elevar o rendimento da equipa. O técnico, de 36 anos, recusou por sentir que ainda há trabalho a fazer no Derby County. "O Everton falou com o meu agente e pediu uma entrevista para o posto, mas eu recusei. Tenho um trabalho a fazer com o Derby que é muito importante para mim", explicou.

O emblema do Championship está a atravessar um período complicado, com graves problemas financeiros, que levaram ao estado de insolvência, desde setembro. Além disso, no mesmo mês, foram informados de que iriam ser alvo de uma dedução de 12 pontos, ao qual acresceu outra sanção idêntica em novembro, mas esta de nove pontos.

Apesar destes contratempos o Derby County está na penúltima posição, com 14 pontos (que seriam 35, não fossem as sanções), apenas a oito da zona de salvação.

O adiar da chegada à Premier League não parece ser um problema para Rooney, pois sente que é uma questão de tempo. "Acredito que vou chegar à Premier League como treinador e que estou preparado a cem por cento. Se for com o Everton, melhor", afirmou a antiga lenda do Manchester United.

Como jogador Wayne Rooney começou no Everton e tornou-se um ídolo em Manchester, onde cumpriu 559 jogos pelos 'red devils', tendo marcado 253 golos. Regressou ao emblema de Liverpool e ainda esteve nos EUA, no DC United, tendo terminado a carreira como jogador-treinador no Derby County. Foi ainda 120 vezes internacional por Inglaterra.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG