Futebol

Rúben Amorim: "Chegamos com facilidade ao último terço e depois definimos muito mal"

Rúben Amorim: "Chegamos com facilidade ao último terço e depois definimos muito mal"

Rúben Amorim, treinador do Sporting, salientou que a partida frente ao Santa Clara "foi difícil" e que o triunfo é "mais um passo no crescimento" da equipa.

"Foi um jogo difícil. A interpretação do lance do golo anulado foi completamente diferente da da semana passada, mas continuamos a jogar. As equipas estavam encaixadas, mas só a meio-campo, uma a atacar no meio-campo ofensivo e a outra estava a defender. Tivemos bons momentos, não tivemos qualquer situação de perigo na nossa baliza, temos de definir melhor, porque, por vezes, chegamos com facilidade ao último terço e depois definimos muito mal e disse aos jogadores que muito do sumo sai destes jogos e de ganhar estes espaços, se há uma situação de perigo ou golo isso é que dá sumo aos jogadores e à qualidade da equipa. Foi mais um passo no crescimento. Cada bola parada era um problema e acabamos por fazer um golo", referiu o técnico leonino.

Sobre o momento de forma de Jovane Cabral, cujo golo foi determinante para o desfecho, Rúben Amorim anota que o jogador "apareceu muito bem fisicamente" após a paragem competitiva e "enquadrou-se muito bem" com a ideia de jogo que tinha para a equipa. "Preparámos muito bem o Jovane para que quando terminasse a pandemia tivéssemos o melhor Jovane. Curiosamente, na primeira parte não gostei muito do Jovane porque saiu muito fora da sua zona e foi muito atrás da bola, na segunda melhorou", frisou o treinador, ressalvando que a baixa de rendimento de Sporar se deve "a muitos jogos seguidos".

"Desde que chegou foi sempre a jogar e nós jogamos muito diferente da forma que ele estava habituado e com o tempo vai melhorando e com mais descanso também", acrescentou o técnico dos verde e brancos.

Rúben Amorim desvalorizou a ausência de Acuña do clássico com o F. C. Porto por ter visto o nono amarelo na Liga: "O Acuña viu amarelo, não joga, vai jogar outro. Está tudo bem. É o temperamento dele, não percebo de fazer dele um exemplo. Jogou bem, o Jovane jogou bem, entenderam-se bem, dividiram os livres. Maravilha".

"Não vou mudar o meu sistema de jogo, treinamos sempre assim. Vou mudar porque não há um jogador para aquela posição? Às vezes não há centrais e mudam o sistema de jogo? Nós temos a nossa ideia, estamos habituados a jogar assim, basta mudar uma peça que depois é difícil termos uma forma de construção igual ou jogarmos da mesma maneira. Não tivemos o Acuña durante bastante tempo e continuamos com o mesmo sistema", complementou.

Sobre o clássico, o técnico comentou: "Fico feliz que o F. C. Porto não seja já campeão, neste momento, porque quero que os mais novos sintam essa pressão. Vamos jogar sempre para ganhar. Se o F. C. Porto for campeão, os jogadores devem sentir a festa do F. C. Porto, essa dor. O nosso objetivo é sempre ganhar, sabendo que um rival histórico pode fazer a festa connosco em campo".