Liga dos Campeões

Ruben Amorim deixa críticas ao Marselha após atraso: "Faltou-lhe humildade"

Ruben Amorim deixa críticas ao Marselha após atraso: "Faltou-lhe humildade"

O treinador do Sporting, Ruben Amorim, deixou, esta terça-feira, críticas ao Marselha depois da chegada tardia do clube de Alvalade ao recinto onde ia defrontar o clube francês para a Liga dos Campeões.

O jogo entre o Marselha e o Sporting começou a dar que falar ainda antes do apito inicial uma vez que, ao contrário do esperado, começou às 18 horas depois do atraso da equipa de Alvalade na chegada ao recinto. Já no rescaldo do encontro que terminou com uma derrota pesada (4-1) para o clube verde e branco, Ruben Amorim deixou algumas críticas ao Marselha, garantindo que o atraso não foi culpa do Sporting.

PUB

"O atraso deveu-se ao trânsito. Há uma reunião entre todos os membros do Marselha, do Sporting e da UEFA. Explicam-nos quantos minutos precisamos para sair do hotel, porque não temos batedores. Não é como em Inglaterra, que nós temos os batedores, mas eles não afastam ninguém. Ou seja, há uma coisa que já foi estudada, que já se sabe. Agora, nós chegámos atrasados porque ficámos completamente presos no trânsito e quando ficamos presos no trânsito, não há nada a fazer, nós não temos culpa. Nós despachámos a nossa equipa em 45 minutos, aquecemos, ligámos pés, fizemos a ativação mental para o jogo em 45 minutos e eu não quero ninguém do Sporting a queixar-se disso. Mas o tom das pessoas do Marselha como se fosse nossa culpa... Faltou um bocadinho de humildade e espero que não lhes aconteça o mesmo, porque nós não temos culpa", começou por dizer Ruben Amorim, pedido sensibilidade à UEFA.

"Quando falam para nós antes do início do jogo como se tivéssemos culpa, é perder um bocadinho a noção e as pessoas da UEFA têm de ter essa sensibilidade, porque andamos sempre a falar do negócio, falou-se tantas vezes da Superliga Europeia, que era um negócio, que só se via o dinheiro e neste momento é tudo a mesma coisa. Porque o que estávamos a tentar fazer era proteger os jogadores, ligar os pés, massagens, fazer aquecimento e sair para o campo, porque nós é que não tivemos tempo, nós é que fomos prejudicados. Eu não tenho culpa, obviamente que é chato para o Marselha, mas não temos culpa e lamentamos o nosso atraso, porque nós queremos cumprir as regras e foi o que aconteceu. Fizemos tudo de acordo com as regras, estivemos cá na reunião, saímos com tempo extra e depois não conseguimos".

Sobre o jogo, o treinador dos leões vincou que a noite foi "difícil" para o clube de Alvalade e garantiu que nada vai dizer a Adán sobre os erros cometidos pelo guarda-redes.

"Quanto mais experientes os jogadores são, maior é a sua autocrítica. Ninguém tem a carreira que o Adán tem, sem ter uma grande autocrítica. Portanto, ele sabe analisar as suas exibições, eu não preciso de dizer-lhe nada, já nos salvou tantas vezes e já o disse várias vezes. Ele tem os momentos também como os outros em que não está tão bem, portanto eu não vou dizer-lhe nada, ele próprio vai trabalhar ainda mais, tem também o Vital para lhe dar na cabeça. Mas nós, todos temos de melhorar, não é só o Adán. São noites difíceis, que já passámos por elas e quanto mais há crescimento, cada vez custam mais, mesmo com as atenuantes e da forma como correu o jogo, obviamente são momentos difíceis, mas faz parte e torna-nos mais fortes", concluiu.

O Sporting perdeu (4-1), esta terça-feira, em França, diante do Marselha em jogo a contar para a terceira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Trincão, Alexis Sánchez, Amine Harit, Balerdi e Mbemba marcaram os golos do encontro num dia infeliz para Adán. Com este resultado, o Sporting mantém-se na liderança do grupo, com seis pontos, enquanto o Marselha ainda é último, com três, em igualdade com Tottenham e Eintracht Frankfurt, que jogam a partir das 20 horas, na Alemanha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG